Conteúdo publicado há 1 mês

SP: Homem que deu 'voadora' em idoso é denunciado por homicídio qualificado

O motorista Tiago Gomes de Souza, que deu uma "voadora" no idoso César Torresi, 77, em Santos (SP), foi denunciado por homicídio qualificado pelo Ministério Público.

O que aconteceu

Denúncia do MP foi recebida pela Justiça de São Paulo nesta segunda-feira (17). O caso está a cargo do juiz Alexandre Betini, do Foro de Santos.

MP entendeu que Tiago cometeu crime por motivo fútil e impossibilitou defesa do ofendido. Agora, a defesa dele tem 10 dias para responder à acusação. A pena para homicídio qualificado varia de 12 a 30 anos, segundo o Código Penal.

Justiça também pediu acesso às imagens de câmeras de segurança do local do crime. Até o momento, a Polícia Civil baseia as investigações do caso em versões das testemunhas e em uma reconstituição, da qual Tiago participou.

Defesa de Tiago contesta denúncia. Ao UOL, Eugênio Malavasi, advogado do denunciado, informou que as qualificadoras descritas são "incompatíveis com dolo eventual". A defesa de Tiago afirmou que fará a contestação juridicamente.

As qualificadoras descritas na denúncia são incompatíveis com o dolo eventual e, na essência, corroboram com o dolo (intenção) direito de ferir e não matar, portanto, o enquadramento é, sem dúvida, de lesão corporal seguida de morte.
Eugênio Malavasi, advogado de Tiago, em nota enviada ao UOL

Relembre o caso

Siga UOL Notícias no

Idoso de 77 anos morreu após levar uma "voadora" no peito quando tentava atravessar a rua em Santos (SP). César Fine Torresi cruzava a rua de mão dada com o neto, de 11 anos, quando um carro dirigido por Tiago Gomes de Souza, um Jeep Commander, quase o atropelou, segundo testemunhas.

Continua após a publicidade

Após o idoso bater com a mão no capô do carro, houve um desentendimento. Então, o motorista de 39 anos desceu do veículo e o golpeou com os pés na região do peito. O caso foi registrado na rua Pirajá da Silva na tarde do dia 8 de junho.

O idoso bateu a cabeça ao cair no chão, segundo a Polícia Militar. Um médico que passava pelo local prestou os primeiros socorros e acionou o Samu. César foi socorrido à UPA Leste, segundo familiares.

Meu pai se assustou com o carro do agressor, um Jeep Commander, que quase o atropelou. Ele bateu com a mão no capô e o agressor desceu e golpeou meu pai com uma voadora.
Cesar Fine Torresi Filho, ao UOL

Na UPA, o idoso teve paradas cardíacas e morreu. Ele também teve um quadro de traumatismo craniano, informaram os parentes de César.

Reconstituição do crime ocorreu na quinta-feira (13). Na simulação, Tiago se ajoelhou diante dos policiais e teria chorado. A delegada afirmou que a reconstituição foi solicitada porque a polícia não tinha imagens do momento em que o idoso foi agredido, além disso, uma testemunha e o suspeito do crime têm versões diferentes sobre o que ocorreu na ocasião.

Deixe seu comentário

Só para assinantes