Conteúdo publicado há 1 mês

Bahia tem 7 das 10 cidades mais violentas no Brasil; veja lista

Bahia é o estado com mais cidades entre as mais violentas do país — 7 das 10 com maior taxa de homicídios. O levantamento é do Atlas da Violência 2024, do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) junto ao Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com dados de 2022.

O que aconteceu

De acordo com o Atlas, são 16 cidades nordestinas entre as 20 mais violentas, sendo sete delas na Bahia. Conforme o levantamento, o alto número pode ter relação direta com a disputa por áreas dominadas pelo crime organizado e pelo tráfico de drogas.

Santo Antônio de Jesus (BA), no recôncavo baiano, é a cidade mais violenta do Brasil por número de homicídios, diz o Atlas. O município tem uma média de homicídios de 94,1 por 100 mil habitantes. Segundo o Censo 2022, Santo Antônio tem 103 mil moradores.

Outros seis municípios baianos estão no ranking das dez cidades com maiores índices de homicídios. Santo Antônio de Jesus se junta a Jequié, com taxa de homicídios de 91,9, Simões Filho (81,2), Camaçari (76,6), e Juazeiro (72,3), para fechar a lista dos cinco mais violentos. Cabo de Santo Agostinho (PE) completa a lista de cidades do Nordeste brasileiro entre as mais violentas, com média de 66,9.

Brasil tem média de 24,5 mortes intencionais a cada 100 mil pessoas. O país registrou, em 2022, entre homicídios e mortes ocultas, 52.391 óbitos.

Foram registrados como ocultos 5.982 homicídios. Essas são mortes violentas que não foram investigadas, que não foram notificadas às autoridades ou que tiveram dificuldade na tipificação. Para o Ministério da Saúde, são aquelas de causa indeterminada.

O ranking do Atlas separa as cidades por dimensões. Pequenas cidades são aquelas com menos de 100 mil habitantes. Já as médias têm entre 100 e 500 mil, e as grandes têm mais de 500 mil.

De acordo com a metodologia do estudo, não é possível traçar um ranking certeiro das cidades mais violentas entre as menores, já que a medição é por centena de milhares. O crime de homicídio é o mais grave previsto no código penal brasileiro.

Continua após a publicidade

Cidades com menores taxas de homicídio

Cidades do Sul e Sudeste registraram menos homicídios. Entre as médias e grandes do ranking, Jaraguá do Sul (SC), tem a menor taxa de mortes intencionais por 100 mil habitantes. Por lá, a taxa ficou em 2,2.

O município catarinense é seguido por Atibaia e Botucatu, no estado de São Paulo. As cidades do interior paulista têm taxas de 2,2 e 3,4 homicídios, respectivamente, por 100 mil habitantes

Situação entre capitais

Em mortes intencionais, a capital com pior situação é Salvador. Na 9ª posição, a cidade registrou, em 2022, 66,4 mortes intencionais a cada 100 mil habitantes. No relatório anterior, Macapá liderava o ranking - no Atlas 2024, entretanto, a capital teve 55,8 mortes por 100 mil habitantes. Agora, a Salvador é a única capital entre as 20 cidades mais sangrentas.

Continua após a publicidade

São Paulo registrou 1.762 homicídios em 2022. Segundo o Atlas, a capital paulista teve uma queda no número de homicídios de 24% entre 2012 e 2022. Ainda em números absolutos, a capital paulista é seguida em número de homicídios por Salvador, com 1.605, e Rio de Janeiro, com 1.325 assassinatos.

São Paulo é a quarta cidade com menor taxa de homicídios. Apesar do tamanho e da proporção das mortes intencionais, a cidade desponta como uma das menos violentas no quesito - taxa de 15,4 mortes para cada 100 mil habitantes. A cidade é a mais populosa do Brasil, com 11,5 milhões de pessoas.

Florianópolis é a capital mais segura em relação a homicídios. Em 2022, foram 8,9 homicídios por 100 mil habitantes. A cidade é seguida por Brasília, com 13, e Cuiabá, com 15,2.

O Atlas da Violência 2024 é um documento elaborado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) junto ao FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública). O levantamento é divulgado com dados obtidos junto ao SIM (Sistema de Informações sobre Mortalidade), do Ministério da Saúde.

Deixe seu comentário

Só para assinantes