Conteúdo publicado há 30 dias

PR: Policial vira ré após receber R$ 20 mil para 'alugar' dados sigilosos

Uma escrivã da Polícia Civil em Curitiba, que não teve a identidade divulgada, foi acusada de "alugar" o acesso a informações sigilosas da instituição. Ela teria recebido R$ 20.975 entre outubro de 2021 e junho de 2022.

O que aconteceu

Justiça aceitou denúncia contra a escrivã, informou o MP-PR (Ministério Público do Paraná). A promotoria informou nesta quarta-feira (19) que a 1ª Vara Criminal de Curitiba aceitou a denúncia, tornando a policial ré.

A ré também deve ser afastada da função na Polícia Civil, segundo determinação judicial. Ela ainda foi proibida de acessar os sistemas policiais.

Ela atuava na Dedetran (Delegacia de Delitos de Trânsito) de Curitiba. A denúncia do MP-PR aponta os crimes de associação criminosa, corrupção passiva e violação de sigilo funcional.

Outras duas pessoas que também fariam parte do esquema foram denunciados pelo MP-SP.

Por meio de nota enviada ao UOL, a Polícia Civil do Paraná disse que a escrivã também responde a um processo administrativo, que pode culminar na demissão dela.

Errata:

o conteúdo foi alterado

  • Diferentemente do que informou a primeira versão deste texto e o título da chamada na home page do UOL, a acusada recebeu R$ 20.975 entre outubro de 2021 e junho de 2022, não mensalmente, como havia divulgado inicialmente o MP-PR. O texto foi corrigido.

Deixe seu comentário

Só para assinantes