Conteúdo publicado há 27 dias

Homem diz que gastou R$ 12 mil do FGTS no 'Jogo do Tigrinho': 'Foi embora'

Um funcionário de uma distribuidora de alimentos em Maceió (AL) disse que gastou R$ 12 mil do FGTS com o "Jogo do Tigrinho", caça-níquel online irregular.

O que aconteceu

O homem afirmou que jogava para recuperar o dinheiro que já havia sido perdido. "Chegava final do mês na empresa, meu salário caía, eu depositava R$ 50, e perdia. Ficava naquela coisa de jogar mais para recuperar o dinheiro", disse, sem ser identificado, em entrevista ao Fantástico, transmitida neste domingo (23).

Ele contou que gastou salário e FGTS com a plataforma online. "Foi tudo embora. Tanto salário, quanto FGTS. Gastei meu FGTS 'todinho', R$ 12 mil", lamentou.

O funcionário é apenas uma das vítimas do "Jogo do Tigrinho" na empresa . "Pediam adiantamento de férias, antecipação de 13º salário, empréstimo, procuravam o departamento pessoal para tentar fazer acordo para se desligar da empresa. Incluindo funcionários com mais de dez anos de empresa", disse o empresário Rafael Tenório à TV.

Delegado afirma que 12 influenciadores e agentes integravam a organização criminosa para divulgação do jogo de azar. Entre os suspeitos, disse Eduardo Mero, da Polícia Civil de Maceió, estão a influencer Paulinha Ferreira e o marido, Ygor Ferreira, que tiveram um carro de luxo apreendido pela polícia na semana passada.

A defesa do casal diz não existir nos autos da investigação a comprovação da prática de qualquer conduta criminosa. Também afirma que eles não podem ser responsabilizados por eventuais problemas que os jogadores tenham enfrentado com as plataformas.

Em São Paulo, 60 pessoas procuraram a polícia por causa do "Jogo do Tigrinho". São mais de 500 boletins de ocorrência relacionados ao assunto, segundo a 3ª Delegacia de Investigações Gerais.

"Jogo do Tigrinho" dava a influencers conta viciada em ganhar

Siga UOL Notícias no
Continua após a publicidade

O UOL revelou prints de conversas que mostram influenciadores recebendo uma conta diferenciada do "Jogo do Tigrinho". Esse perfil dava acesso a uma aposta que era viciada em ganhar, segundo informou o colunista Carlos Madeiro, no último dia 19.

As investigações culminaram na Operação Game Over que mirou 12 alvos e pediu apreensão no valor de R$ 38 milhões. Os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal. Carros de luxo, lancha e dinheiro foram apreendidos na segunda-feira (17).

Ao fecharem o negócio, os influenciadores eram informados de que receberiam dois links. "Essa é uma conta demo com mil moedas de ouro", diz um intermediador, ao informar um dos influencers sobre como ele deveria acessar.

Na prática, os influencers recebiam um link para uma conta de demonstração, chamada "demo", programada para sempre ganhar. Para o usuário normal, o link era outro, o da plataforma normal, em que sempre havia perdas.

Deixe seu comentário

Só para assinantes