PUBLICIDADE
Topo

MP Eleitoral vai investigar Bolsonaro por apoio a candidatos durante live

Bolsonaro transformou live em "horário eleitoral gratuito", como ele mesmo definiu                              - REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Bolsonaro transformou live em "horário eleitoral gratuito", como ele mesmo definiu Imagem: REPRODUÇÃO DE VÍDEO

Do UOL, em São Paulo

07/11/2020 10h51

O Ministério Público Eleitoral vai investigar se o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cometeu crime eleitoral na sua tradicional transmissão ao vivo de quinta-feira, nas redes sociais. Na última quinta (5), o presidente usou a transmissão para manifestar apoio a diversos candidatos, alguns de municípios do Rio de Janeiro, como seu filho, Carlos Bolsonaro.

O pedido de investigação foi feito pela Procuradoria Regional Eleitoral no Rio. O requerimento foi feito pelo órgão do Ministério Público Federal (MPF) ao Centro de Apoio Operacional das Promotorias Eleitorais (CAO-Eleitoral), do MP-RJ.

No ofício à Coordenação do CAO-Eleitoral, a procuradora regional eleitoral Silvana Batini pediu que a eventual prática de ilícitos eleitorais seja analisada pelos promotores eleitorais atuantes no combate à propaganda irregular, conduta vedada e abuso no uso dos meios de comunicação social.

O documento inclui dos links do vídeo para a apuração. Um deles é o vídeo abaixo:

Ontem, o deputado federal Alexandre Padilha (PT) também entrou com um requerimento para esclarecimentos sobre a live promovida por Bolsonaro.

No pedido, o deputado solicita que o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Jorge Antonio de Oliveira Francisco, responda a uma série de perguntas sobre custos da transmissão e servidores públicos que participaram do vídeo.

Para Padilha, o tema é de amplo interesse do Congresso Nacional, de suas casas e Comissões. "É necessário, portanto, respostas aos questionamentos aqui apresentados, no sentido de maior transparência dos gastos públicos e a fim de verificar, no caso, a ocorrência ou não de abuso do poder econômico".