PUBLICIDADE
Topo

Dez cidades brasileiras serão administradas por prefeitos indígenas em 2021

Isaac Piyãko (PSD) foi reeleito prefeito de Marechal Thaumaturgo (AC) - Arquivo pessoal
Isaac Piyãko (PSD) foi reeleito prefeito de Marechal Thaumaturgo (AC) Imagem: Arquivo pessoal

Flávio Costa

Do UOL, em São Paulo

16/11/2020 11h45Atualizada em 17/11/2020 09h55

A partir de janeiro de 2021, dez cidades brasileiras serão administradas por prefeitos que se declaram indígenas, de acordo com apuração divulgada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Na eleição municipal anterior, realizada no ano de 2016, seis candidatos indígenas foram eleitos para comandar prefeituras.

Quatro prefeitos indígenas conseguiram se reeleger. Entre eles está Isaac Piyãko (PSD), que recebeu 4.521 votos (54% dos votos válidos) para administrar a cidade acreana de Marechal Thaumaturgo

Da etnia ashaninka, o prefeito afirmou que, da mesma forma que aconteceu durante a campanha anterior, foi atacado de maneira racista por seus adversários.

"Desta vez os ataques se concentraram no começo da campanha e ocorreram em número menor, mas não vou deixar passar. Vou denunciar esses ataques à Justiça", disse ele ao UOL. "Fui eleito porque me dediquei a administrar a cidade e a população reconheceu isso".

Risco de indeferimento

O número de cidades que serão administradas por indígenas pode cair, caso a Justiça Eleitoral mantenha a decisão de indeferir a candidatura do Cacique Marquinhos (Republicanos). Ele teve sua candidatura indeferida pelo TRE-PE (Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco) por já ter sido condenado em um processo criminal contra o patrimônio privado, e recorreu da decisão.

Da etnia Xukuru, ele recebeu 17.654 votos (51,6% dos votos válidos). Após a totalização dos votos, Cacique Marquinhos foi comemorar com outros membros de sua etnia nas ruas da cidade. Caso a Justiça Eleitoral impeça seu segundo mandato, quem tomará posse é sua adversária Maria José (DEM). Declarada como parda, ela recebeu 15.562 (45,5% dos votos válidos).

Esta é a segunda eleição municipal em que a Justiça Eleitoral pediu que os candidatos declarassem sua cor/raça no momento do registro da candidatura.

O TSE adota a mesma classificação utilizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que pergunta sobre a cor/raça da pessoa utilizando cinco categorias: branca, preta, parda, amarela e indígena.

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do que foi informado anteriormente, o candidato Cacique Marquinhos não é o atual prefeito da cidade de Pesqueira (PE).