PUBLICIDADE
Topo

Dirigente do PSOL sofre atentado em Guarulhos: "achei que fosse uma pedra"

O secretário geral do PSOL em Guarulhos, Anselmo Pires, em imagem publicada em 2018 em suas redes sociais - Reprodução
O secretário geral do PSOL em Guarulhos, Anselmo Pires, em imagem publicada em 2018 em suas redes sociais Imagem: Reprodução

Marcelo Oliveira

do UOL, em São Paulo

21/11/2020 17h01

Secretário-geral do PSOL em Guarulhos, Anselmo Pires da Silva Neto, 54, foi baleado ontem à tarde durante ato da campanha de Elói Pietá (PT), no bairro de Jardim Palmira, na periferia da cidade. Pires discursava sobre a especulação imobiliária e a devastação ambiental na região, quando sentiu um baque no braço.

Pires contou ao UOL que estava em cima de um carro de som em um ato de campanha do PSOL em apoio à Pietá, que estava em outro ato político em outro local da cidade. Era o primeiro ato de que participava desde que o PSOL anunciou apoio à Pietá no segundo turno em Guarulhos.

"Eu havia acabado de fazer uma fala sobre a especulação imobiliária e a devastação ambiental na periferia de Guarulhos e assim que eu passei o microfone para uma companheira ao meu lado, ouvi um barulho como se pedras estivessem batendo no carro e um baque no braço. Na hora, achei que fossem pedras", disse.

Imediatamente, o ato foi interrompido e Anselmo viu que o ferimento ardia e sangrava. "Fizemos assepsia com álcool, terminamos o ato e procurei o 2º DP de Guarulhos, que orientou que eu fosse imediatamente procurar atendimento médico".

Numa UBS, Pires foi medicado, recebeu um curativo apropriado e um médico emitiu um laudo afirmando que o psolista provavelmente foi atingido por um estilhaço ou por um projétil de uma arma com munição de chumbinho, que se fragmenta, por isso uma parte atingiu seu braço e outra a carroceria.

A direção nacional do PSOL divulgou hoje no Twitter uma nota classificando o atentado como absurdo e pedindo "investigação urgente". "Até quando o Brasil vai conviver com crimes políticos", diz a postagem do partido.

Luta por moradia

Pires é assessor parlamentar em São Paulo do deputado federal Ivan Valente (PSOL) há 8 anos e é um líder do movimento popular por moradia em Guarulhos. Ele foi candidato a vice-prefeito da cidade em 2016 e a deputado estadual em 2018. Pires denuncia há anos a especulação imobiliária e luta pela regularização fundiária nos condomínios do Parque Continental, próxima ao bairro em que foi ferido.

"O crime foi político, pois ele foi atingido durante um ato de campanha, não há dúvida. É bem provável que tenha algo a ver com a luta do Anselmo contra a especulação imobiliária", disse o deputado ao UOL.

Na próxima segunda-feira, Pires será submetido a exame de corpo de delito no IML de Guarulhos.

Apesar do susto, Pires não interrompeu suas atividades políticas. Hoje, estava protestando com militantes do partido no centro de Guarulhos contra a morte por espancamento de João Alberto Silveira Freitas em uma loja do Carrefour, em Porto Alegre.