PUBLICIDADE
Topo

Paes diz que vitória exalta diversidade e volta da confiança na política

Eduardo Lucizano, Emanuel Carneiro e Gabriel Sabóia

Do UOL, em São Paulo e no Rio

29/11/2020 19h07Atualizada em 29/11/2020 23h52

Eleito prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM) falou pela primeira vez após o resultado da eleição e criticou a gestão do adversário derrotado Marcelo Crivella (Republicanos). Prestes a administrar a capital fluminense pela terceira vez, o democrata exaltou em seu discurso a vitória sobre o ódio e o resgate da confiança na política.

Eduardo Paes teve 64,07% dos votos válidos contra 35,93% de Crivella —diferença superior a 715 mil votos. Em seu discurso da vitória, o prefeito eleito teve ao seu lado o presidente da Câmara dos Deputados e seu correligionário, Rodrigo Maia (DEM).

"A mensagem que eu queria passar aqui é de agradecimento a todos os cariocas que foram às ruas, que confiaram nas nossas propostas, na possibilidade de tornar essa cidade uma cidade que olhe para frente, que tem esperança, que possa olhar para o futuro, pensando em tornar um lugar melhor", disse.

As pesquisas Ibope e Datafolha divulgadas ontem já indicavam a vitória de Paes com 68% dos votos válidos contra 32% de Crivella. A disputa foi marcada por trocas de acusações e pela difusão de fake news por Crivella.

Hoje vocês estão livres para voltar a confirmar essa cidade como a cidade a diversidade. É uma cidade tão ampla, que aceita todos, que abraça todos

Eduardo Paes, candidato eleito à Prefeitura do Rio

Paes afirmou que o Rio vai se livrar de um governo "omisso" e "preconceituoso", para todas orientações e religiões. No último debate da TV Globo, Crivella citou de forma pejorativa o turismo gay e uma entidade religiosa de matriz africana.

"O grande papel hoje do carioca é celebrar que um governo preconceituoso, omisso nos últimos anos, vai terminar. Para os que votaram em mim, para quem não votou em mim, para todos os credos, para todas as orientações, para todas as religiões, o Rio é o lugar da diversidade. É dessa maneira que a gente quer governar", disse.

29.nov.2020 - O prefeito eleito do Rio de Janeiro (RJ), Eduardo Paes (DEM), faz seu discurso no Hotel Nacional em São Conrado, na capital fluminense, neste domingo (29), acompanhado do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. - CAIO BASILIO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - CAIO BASILIO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Eduardo Paes discursa após a vitória no 2º turno no Rio de Janeiro
Imagem: CAIO BASILIO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

"Vitória da política", diz Paes

Paes governará o segundo maior colégio eleitoral do país pela terceira vez. Ele comemorou o que chamou a vitória da política contra a radicalização.

Queria também celebrar aqui, que eu acho que foi uma vitória da política. Passamos os últimos anos, de certa maneira, radicalizando a política brasileira, contestando aqueles que exercem atividade politica, que se dedicam à gestão pública. Os resultados desse quadro de extremos, de muito ódio, não fizeram bem a nenhum de nós cariocas, a nenhum de nos brasileiros

Eduardo Paes

"Eu cumprimento todos os prefeitos que foram eleitos nesse segundo turno, mas acho que essa eleição significa isso, que há uma confiança na política de novo, que há uma confiança naqueles que se expõem", disse Paes.

Ao lado de Rodrigo Maia, que destacou no palanque a vitória do Bruno Covas (PSDB) em São Paulo, Paes parabenizou o tucano pela vitória na capital paulista.

"Queria cumprimentar o prefeito Bruno Covas. Acho que a vitória dele também significa uma vitória de um quadro político que tem uma história de realizações, de entrega para a cidade de São Paulo. Essa é uma vitória daqueles, que acima de tudo, acreditam na boa política. Essa é a política que a gente acredita também", afirmou.

Saúde será foco no começo do mandato

Após a vitória, Paes também disse que a saúde será o principal foco dos primeiros dias do seu mandato. Uma série de medidas de enfrentamento à pandemia do coronavírus deve ser anunciada amanhã em entrevista à imprensa.

Paes avisou que pretende dialogar com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e pedir a liberação de leitos na rede federal de saúde.

Apesar de ter dito que pretende dialogar com Crivella na transição, Paes pediu para que os cariocas comemorem o fim do mandato daquele que ele definiu como "o pior prefeito da história".

"Sei que a minha eleição, em muito, significa um 'não' a essa gestão que piorou a vida das pessoas e tratou as pessoas com muito preconceito", disse. "Comemorem, cariocas. Crivella, nunca mais". A fala foi aplaudida por correligionários que cantaram "O Dudu voltou".