Parentes enterram afegã grávida de 14 anos que morreu queimada pela família do marido

Do UOL, em São Paulo

  • Rahmat Gul/AP

    Irmão de Zarah chora durante o enterro da jovem, que estava grávida

    Irmão de Zarah chora durante o enterro da jovem, que estava grávida

A família de Zarah, uma afegã de 14 anos que morreu queimada pela família do marido, se comoveu durante o enterro da vítima, que estava grávida, nesta quarta-feira (18), em Cabul.

Zarah morreu no último dia 18 de julho na província de Ghor. Segundo seu pai, Mohammad Azam, relatou à agência Associated Press, ela foi torturada e queimada pelos familiares do marido em um dos ditos "crimes de honra", ocorrentes no país e que vitimam mulheres e garotas.

Rahmat Gul/AP
Familiares de Zarah rezam no funeral da garota, em Cabul

O motivo foi vingança, que não envolveu diretamente a garota, segundo o relato, e sim o próprio Azam. A história começou quando o pai da menina acertou com a outra família um acordo de casamento, como pagamento de uma dívida.

A família do marido de Zarah, no entanto, renegou o acordo posteriormente, e Azam fugiu com a jovem que seria sua esposa. Como vingança, Zarah foi torturada e morta.

De acordo com a Associated Press, Azam pode ser indiciado pela prática de troca de mulheres como pagamento de débitos, conhecida como 'baad', que é proibida no Afeganistão.

A morte da garota rendeu um protesto em julho com cerca de 50 pessoas, incluindo a família de Zarah e ativistas pelos direitos das mulheres. (Com Associated Press)

Mulheres ganham apito para denunciar violência sexual no México

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos