Exército da Síria declara o fim da trégua

Do UOL, em São Paulo

As Forças Armadas sírias anunciaram nesta segunda-feira (19) o fim da trégua decretada em 12 de setembro por sete dias e acusou os grupos rebeldes de não ter respeitado o fim das hostilidades.

"O exército sírio anuncia o fim da suspensão dos combates, que começou às 19h local (13h, horário de Brasília) de 12 de setembro de 2016 em virtude do acordo russo-americano", disse um comunicado citado pela agência Sana.

Na nota, o exército sírio disse que tomou esta decisão após as mais de 300 violações do cessar-fogo por parte de "organizações terroristas armadas". Além disso, expressou sua "intenção e determinação de continuar com sua missão nacional de lutar contra o terrorismo para estabelecer a segurança e a estabilidade".

"A trégua devia ser uma verdadeira oportunidade para terminar com este banho de sangue, mas os grupos terroristas armados não cumpriram com este acordo", acrescenta o comunicado.

O Exército da Síria afirmou que realizou "grandes esforços" para aplicar a trégua e que exerceu "maior grau de contenção" frente às violações, embora reconheça que em alguns casos foi obrigado a respondê-las para silenciá-las.

A trégua, iniciada no último dia 12 de setembro, expirou na última meia-noite. Até agora, nenhuma das partes envolvidas no conflito tinha esclarecido se ela seria prolongada ou finalizada.

O porta-voz da opositora Comissão Suprema para as Negociações (CNS), Riad Agha, afirmou que correspondia a Rússia e aos EUA, que elaboraram o acordo, anunciar a sequência ou não do pacto, "porque o cessar-fogo foi fruto de um acordo entre ambos os países". Por isso, "nós não anunciaremos nada até que o façam Estados Unidos e Rússia".

O porta-voz se mostrou favorável a uma extensão da trégua "de forma completa, em todas partes e protegendo todos os civis".

"O que tivemos durante a semana passada não foi um cessar-fogo real, já que os bombardeios russos e do regime continuaram, como ocorreu em Aleppo durante o fim de semana passado", disse.

O secretário de Estado americano John Kerry declarou nesta segunda-feira que a Rússia não cumpriu com sua parte no trato para implementar a trégua de sete dias na Síria, e por isso Washington não pode cooperar militarmente com Moscou nesse país, apesar de continuar trabalhando a questão.

Sob os termos de um acordo alcançado este mês, em Genebra, o exército americano ia estabelecer uma unidade conjunta com as forças russas para atacar os jihadistas sírio no cessar-fogo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos