Paris quer vender "cadeados do amor" e doar valor arrecadado para refugiados

Do UOL, em São Paulo

  • Stephane de Sakutin/AFP

    Trabalhador remove os cadeados do amor presos à Pont des Arts, em Paris

    Trabalhador remove os cadeados do amor presos à Pont des Arts, em Paris

Autoridades de Paris confirmaram que venderão os cadeados deixados por casais nas pontes da capital francesa e que foram retirados nos dois últimos anos. O valor arrecadado com a venda será doado a grupos de refugiados.

Segundo Bruno Julliard, vice-prefeito encarregado de cultura, qualquer pessoa poderá comprar quantos cadeados quiser e guardar uma lembrança da história recente de Paris. Ele disse ainda que os cadeados serão vendidos a preços acessíveis.

A Prefeitura espera arrecadar 100 mil euros (cerca de R$ 365 mil), que serão repassados a grupos que trabalham diretamente com os refugiados que vivem em Paris. Estima-se que sejam vendidas até 10 toneladas das 65 toneladas de cadeados retirados das pontes sobre o rio Sena. O que não for vendido ao público deve ser derretido e vendido como sucata.

A decisão de acabar com a tradição dos cadeados pendurados foi tomada levando em conta a segurança, já que as grades começaram a cair com o peso dos cadeados. A maior parte deles foi retirada da famosa Pont des Arts, passarela que data de 1801 e foi reconstruída no início dos anos 80. Nela, foram instaladas barreiras de vidro, que impedem o público de pendurar qualquer objeto.

Paris diz adeus aos cadeados do amor

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos