PUBLICIDADE
Topo

Trump assume presidência e diz que "carnificina americana termina agora"

Obama acena para o público enquanto embarca em um helicóptero das Forças Armadas durante solenidade de despedida depois da posse de Trump - Evan Vucci/AP
Obama acena para o público enquanto embarca em um helicóptero das Forças Armadas durante solenidade de despedida depois da posse de Trump
Imagem: Evan Vucci/AP

Do UOL, em São Paulo

20/01/2017 15h00Atualizada em 20/01/2017 18h16

O empresário Donald Trump se tornou efetivamente nesta sexta-feira (20) o 45º presidente da história dos Estados Unidos depois de fazer o juramento no Capitólio, o Congresso norte-americano, em Washington.

Logo após fazer o juramento, Trump iniciou seu discurso de posse. Apesar de agradecer Barack Obama no início da fala, dizendo que o presidente e a ex-primeira-dama Michelle Obama foram "magníficos", ele fez um discurso duro, dizendo que transferia o poder "de Washington para vocês", se dirigindo à população presente à cerimônia de posse.

"Nós, cidadãos da América, estamos agora unidos em um grande esforço nacional para reconstruir o nosso país e restaurar a promessa para todos o nosso povo. Juntos vamos determinar o curso da América e de todo o mundo por muitos muitos anos. O establishment protegeu a si próprio, mas não os cidadãos de nosso país. As vitórias deles não foram vitórias do país. Esse dia marca a data em que o povo se tornou soberano desta nação novamente", afirmou Trump no começo da fala.

20.jan.2017 - O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, faz seu primeiro discurso depois de ter tomado posse nesta sexta-feira (20), no Capitólio, em Washington DC - Patrick Semansky/AP
20.jan.2017 - O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, faz seu primeiro discurso depois de ter tomado posse nesta sexta-feira (20), no Capitólio, em Washington DC
Imagem: Patrick Semansky/AP

"20 de janeiro de 2017 será lembrado como o dia em que as pessoas se tornaram as governantes outra vez. Os homens e mulheres esquecidos do nosso país não serão mais esquecidos. Todos estão escutando vocês agora."

"O crime, as gangues e as drogas roubaram muitas vidas. Essa carnificina americana termina agora", disse, depois de enfatizar que há muitas famílias em estado de pobreza, principalmente no interior do país. "Somos uma nação, e sua dor é a nossa dor, seus sonhos são os nossos sonhos, e seu sucesso será agora o nosso sucesso."

"Imparável"

No discurso, Trump também fez um aceno às forças de segurança dos Estados Unidos, além de fazer referência religiosa. "Quando a América está unida, é totalmente imparável. Não devemos ter medo. Estamos protegidos e estaremos sempre protegidos pelas forças da lei, de militares, e o mais importante, seremos protegidos por Deus."

“A proteção nos guiará rumo a grande prosperidade e força. Vou lutar por vocês com cada respiração do meu corpo, e nunca vou desapontá-los. A América vai começar a ganhar outra vez, vencerá como nunca antes. Vamos trazer de volta nossos trabalhos. Vamos trazer de volta nossas fronteiras, nossa riqueza. E traremos de volta nossos sonhos."

Multidão acompanha posse do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, em frente ao Capitólio, em Washington DC - Lucas Jackson/Reuters
Multidão acompanha posse do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, em frente ao Capitólio, em Washington DC
Imagem: Lucas Jackson/Reuters

Trump fechou o discurso usando seu slogan da campanha presidencial, que se torna também o mote do seu governo. "Vamos tornar a América forte novamente. Vamos tornar a América rica novamente. Vamos fazer a América orgulhosa novamente. E sim, juntos, vamos tornar a América grandiosa novamente."

Juramento

A cerimônia foi introduzida pelo senador republicano Roy Blunt, do Missouri, responsável do Congresso pelo evento de posse, que disse que a cerimônia é uma celebração da "democracia", e não da vitória de Trump nas urnas.

O primeiro a fazer o juramento foi o vice-presidente e ex-governador de Indiana, Mike Pence, que substituirá o democrata Joe Biden como primeiro na linha sucessória da Casa Branca.

Em seguida, Trump fez seu juramento, sobre duas bíblias: uma presenteada a ele por sua mãe, em 1955, e a do ex-presidente Abraham Lincoln, também utilizada por Obama em suas duas cerimônias de posse.

Trump faz juramento e se torna presidente dos EUA

UOL Notícias
A posse de Trump contou com a presença de Hillary Clinton, democrata derrotada por Trump na disputa pela Presidência dos Estados Unidos. Ela acompanhou o marido, o ex-presidente Bill Clinton (1993-2001). A cerimônia também teve a presença dos ex-presidentes Jimmy Carter (1977-1981) e George W. Bush (2001-2009).
 
Congressistas como o presidente da Câmara, o republicano Paul Ryan, e o pré-candidato democrata à Presidência no ano passado, o senador Bernie Sanders, também compareceram.
Trump faz o juramento ao lado da mulher, Melania - Andrew Harnik/AP
Trump faz o juramento ao lado da mulher, Melania
Imagem: Andrew Harnik/AP

Trump chegou ao Capitólio junto com Barack Obama, após os dois tomarem café da manhã na Casa Branca. Obama foi apresentado pouco antes do novo vice-presidente, Mike Pence, e em seguida por Trump.

Antes disso, Trump passou a noite na Blair House, a residência diante da Casa Branca reservada aos dignitários de alto escalão, e por volta das 8h30 (11h30 de Brasília) participou de uma cerimônia religiosa na à igreja episcopal St. John's, conhecida como "Igreja dos Presidentes" - e todos os comandantes do país desde James Madison (1809-1817) foram à igreja, que fica bem próxima à Casa Branca, pelo menos uma vez.

A manhã em Washington também teve protestos, com manifestantes anti-Trump quebrando vidranças e sendo dispersados pela polícia com gás lacrimogênio.

"Foi uma honra", diz Obama

Minutos após o discurso de Trump, Obama e sua família deixaram Washington a bordo de um helicóptero para iniciar um breve período de férias. Enquanto o helicóptero decolava em Washington, Trump e Pence acenaram para a família.

Pouco antes de receber Trump na Casa Branca, Obama e Michelle divulgaram no Twitter um quarto vídeo em que o agora ex-presidente agradeceu a seus compatriotas pelo apoio recebido nos oito anos de governo.

"Foi uma honra na minha vida servir-los. Vocês fizeram de mim um melhor dirigente e homem", tuitou pela última vez o 44° presidente dos Estados Unidos na conta oficial da presidência @POTUS - que já foi transferida para Donald Trump.

"Não vou parar. Estarei aqui mesmo com vocês como cidadão, estimulado por suas vozes de verdade e justiça, de humor e amor", acrescentou Obama, que anunciou a criação da fundação Obama.

Internacional