Trump não obtém acordo, e votação de reforma de saúde é adiada

Do UOL, em São Paulo

  • Andrew Harnik/AP

    O presidente dos EUA, Donald Trump, gesticula enquanto "pilota" caminhão durante encontro com donos de empresas do setor na Casa Branca

    O presidente dos EUA, Donald Trump, gesticula enquanto "pilota" caminhão durante encontro com donos de empresas do setor na Casa Branca

A proposta do presidente Donald Trump para reformar o sistema de saúde vigente, conhecido como Obamacare, sofreu um grande golpe nesta quinta-feira (23), quando a oposição dentro de seu próprio partido republicano forçou o atraso de uma votação crucial. 

A derrubada do Obamacare foi uma das principais promessas de campanha do presidente republicano.

A votação pode ser realizada na manhã desta sexta-feira (24).

O adiamento representa um grande revés político para a reputação de Trump como negociador, em um momento em que ele busca a aprovação de uma lei para anular e substituir o sistema de saúde adotado pelo seu predecessor.

O maior empecilho para um acordo parece ter vindo do grupo ultraconservador Freedom Caucus (Caucus da Liberdade), de cerca de 30 congressistas da ala mais radical do Partido Republicano.

O grupo se reuniu hoje com o presidente para tentar aparar arestas sobre o conteúdo da lei e fazer com que ela fosse aprovada.

Porém, membros saíram do encontro dizendo que não haviam chegado a um acordo. 

"Não foi acertado nada novo. Voltaremos a nos reunir e considerar nossas opções", disse o congressista Paul Gosar.

O presidente do Freedom Caucus, Mark Meadows, disse aos jornalistas no Capitólio que não havia votos suficientes para aprovar o projeto de lei que busca substituir o Obamacare.

A atual proposta pretende recortar a expansão do programa de ajuda para as pessoas com baixos recursos, assim como retirar a obrigação de que as pessoas contratem um plano de saúde.

No entanto, o projeto mantém alguns dos avanços do Obamacare, como a obrigatoriedade de fornecer cobertura às pessoas que sofreram doenças no passado.

Os congressistas republicanos fizeram mudanças na lei para tentar convencer os rebeldes, mas o problema está em encontrar um ponto comum entre os ultraconservadores e os moderados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos