Rússia culpa rebeldes por ataque químico que deixou 72 mortos na Síria

Do UOL, em São Paulo

O porta-voz do Ministério da Defesa russo afirmou nesta quarta-feira (5) que a morte de 72 pessoas no dia anterior, entre elas 20 crianças, pode ter sido provocada pelo bombardeio da Força Aérea síria a um depósito de armas de rebeldes.

"Segundo o controle do espaço aéreo, ontem, entre 11h30 e 12h30 (hora local), a Força Aérea síria bombardeou na região de Khan Sheikhun um grande depósito de armas dos terroristas. Na área do depósito, se encontrava uma oficina para a produção de minas com substâncias tóxicas", disse o general Igor Konashenkov.

Em vídeo, o porta-voz disse que os sintomas apresentados pelas vítimas do bombardeio da terça são semelhantes aos que teriam sido provocados em outubro em vítimas de um ato de autoria do mesmo grupo de rebeldes.

Na terça, a Rússia negou que sua Força Aérea tivesse bombardeado a região e realizado o ataque contra os rebeldes, após denúncia do Observatório Sírio de Direitos Humanos.

"Os aviões das Forças Aéreas da Rússia não efetuaram nenhum ataque na região da cidade de Khan Sheikhun, na província de Idlib", informou ontem o Ministério da Defesa russo, através de comunicado.

Veículos de imprensa ocidentais, que citaram o Observatório Sírio de Direitos Humanos, informaram que a Força Aérea russa ou síria atacou com armas químicas as imediações da cidade, o que foi qualificado por Moscou como "falsidades anti-russas". (Com agências internacionais.)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos