Base aérea atacada pelos EUA na Síria volta a operar menos de 24h após ser alvo de mísseis

Do UOL, em São Paulo

  • Russian Defense Ministry Press Service Photo via AP

    7.abr.2017 - Imagem divulgada pelo Ministério da Defesa da Rússia mostra a base aérea de Shayrat, na Síria, após os bombardeios.. Forças militares dos EUA dispararam mísseis em uma base aérea síria nesta sexta-feira (7), em resposta ao que o presidente Donald Trump chamou de um ataque químico "bárbaro" do regime daquele país contra civis, na terça-feira (4). O governo da Síria negou qualquer uso de armas químicas e a mídia estatal descreveu o ataque dos EUA como um "ato de agressão"

    7.abr.2017 - Imagem divulgada pelo Ministério da Defesa da Rússia mostra a base aérea de Shayrat, na Síria, após os bombardeios.. Forças militares dos EUA dispararam mísseis em uma base aérea síria nesta sexta-feira (7), em resposta ao que o presidente Donald Trump chamou de um ataque químico "bárbaro" do regime daquele país contra civis, na terça-feira (4). O governo da Síria negou qualquer uso de armas químicas e a mídia estatal descreveu o ataque dos EUA como um "ato de agressão"

A base aérea de Shayrat, que foi alvo do ataque com mísseis realizado pelos EUA, voltou a operar menos de 24 horas depois do incidente. Dois aviões militares decolaram da base na noite desta sexta-feira (7, hora local síria), e realizaram bombardeios nos arredores, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

"Os equipamentos decolaram da base, que está parcialmente em serviço novamente, e atingiram alvos na região de Palmira." A ONG não disse se os aviões eram sírios ou russos.

Uma fonte militar síria confirmou para a agência AFP que o Exército sabia da ação americana e "tomou precauções", deslocando aviões da base aérea atacada. O governo americano confirmou ter avisado o governo russo antes de promover o ataque.

Antes, o próprio o Observatório Sírio indicou que o aeroporto teria ficado "quase inteiramente destruído: os aviões, a pista, o depósito de combustível e o edifício da defesa aérea foram pulverizados".

As autoridades americanas informaram que os 59 mísseis Tomahawk tinham como alvo a base aérea de Shayrat, na cidade de Homs, de onde se acredita que partiram os caças que lançaram o ataque químico de terça-feira.

Segundo o governo russo, apenas 23 dos mísseis atingiram de fato a base aérea, informação não confirmada pelos norte-americanos. Segundo o Pentágono, cerca de 20 aeronaves foram destruídas, mas a pista permanecia intacta.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos