Advogado de Trump xinga e ameaça homem que pediu sua renúncia: "sei onde você mora"

Do UOL, em São Paulo

  • JUSTIN T. GELLERSON/NYT

    Marc Kasowitz, advogado pessoal de Trump

    Marc Kasowitz, advogado pessoal de Trump

Marc Kasowitz, advogado pessoal do presidente americano Donald Trump e que hoje também o defende nas investigações de que membros de sua campanha teriam feito conluio com a Rússia, ofendeu e ameaçou um americano que lhe enviou um e-mail crítico pedindo sua renúncia. O caso foi divulgado pela agência independente ProPublica e confirmado pela assessoria do advogado, que pediu desculpas pelo episódio.

O homem, identificado como um relações públicas aposentado de um Estado do Oeste americano, enviou um e-mail para Kasowitz pedindo que o advogado renunciasse de sua oposição.

Segundo a agência, o homem fez esse pedido após ler uma reportagem que revela que Kasowitz não passou pelas habituais checagens de segurança das agências de inteligência dos EUA quando foi contratado por Trump. Além disso, ele teria posturas agressivas com funcionários, potencializadas pelo seu hábito de beber demais, segundo a reportagem.

"Marc, você não me conhece, eu não te conheço. Mas acredito que é do seu interesse, e de interesse de sua firma a longo prazo, que renuncie da posição de advogado do presidente com relação a suas questões legais pendentes no âmbito federal. Nada de bom pode sair disso e, na verdade, seu nome pode virar uma informação de pé de página depreciativa para a presidência de Donald Trump", escreveu o homem às 18h28 [horário da costa oeste americana] de quarta-feira (12).

Kasowitz respondeu cinco minutos depois dizendo apenas "fuck you" ["vá se f..."]. Às 18h48, o advogado enviou um segundo e-mail, com ameaças. "E você não me conhece, mas eu te conheço. Como você ousa me mandar um e-mail como aquele? Estou em cima de você agora. Você está me f... agora. Vamos descobrir quem você é. É melhor você se cuidar, seu p…", escreveu.

 

O homem respondeu apenas com as frases "obrigado por sua resposta gentil" e "estarei em contato, se for adequado".

Kasowitz, no entanto, enviou mais dois e-mails à pessoa. "Me ligue, se quiser conversar. Vou conversar com você. Você é um pedaço de merda. Me ligue. Não fique com medo, seu pedaço de merda. Levante. Se você não me ligar, você é só um medroso. Me ligue", escreveu o advogado às 18h56.

"Sou judeu, e acho que você também é. Pare de ficar com medo. Me ligue. Ou me dê seu número que eu te ligo. Já sei onde você mora, estou em cima de você. Você também pode me ligar. Você vai me ver. Prometo. Irmão", finalizou o advogado.

Em entrevista à ProPublica, o homem ameaçado, que não teve o nome revelado, afirmou ter ficado perturbado com os e-mails e os enviou ao FBI (polícia federal norte-americana) para que houvesse um registro por escrito da ameaça.

À ProPublica, um porta-voz de Kasowitz enviou um pedido de desculpas pela postura do advogado de Trump:

"O sr. Kasowitz, que está atolado com questões de seus clientes, disse que quer se desculpar com o autor do e-mail. Apesar de não haver desculpas [para o comportamento], o e-mail veio no fim de um dia muito longo que, às 22h, ainda não tinha acabado. 'A pessoa que enviou o e-mail tem direito a sua opinião e eu não poderia ter respondido daquele jeito inapropriado. Pretendo enviar um e-mail afirmando isso. Esse é um daqueles momentos que a gente deseja que pudesse voltar no tempo, mas claro que não podemos', disse o sr. Kasowitz".

"O advogado mais durão de Wall Street"

Kasowitz chegou à Casa Branca no final de maio para cuidar especificamente da defesa do presidente nas investigações sobre as ligações entre sua campanha e a Rússia. Antes disso, ele era advogado pessoal de Trump em Nova York havia mais de 15 anos e tinha relação próxima ao presidente. Além de cuidar do caso, Kasowitz também responde a questões da imprensa sobre o assunto.

Segundo o "New York Times", no entanto, Trump tem se irritado com as estratégias de Kasowitz sobre como o presidente deve se defender das repercussões na imprensa. O jornal afirma que o advogado também está descontente com a maneira de trabalhar da equipe de Trump e cogita renunciar.

Em junho, o "NYT" publicou um artigo extenso sobre Kasowitz, dizendo que ele se gaba de ser chamado de o advogado mais durão de Wall Street". De acordo com o jornal, Kasowitz é respeitado como um advogado "feroz e bem-sucedido", mas com pouca experiência "em casos criminais importantes ou em investigações politicamente carregadas em Washington".

O jornal informou que foi ameaçado de processo por Kasowitz nas semanas finais da campanha eleitoral após o "NYT" publicar uma reportagem na qual duas mulheres acusaram Trump de apalpá-las de forma imprópria, anos antes. A ameaça de processo, que seria por difamação, não foi concretizada.

Entenda o envolvimento da Rússia na política americana

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos