Trump completa um ano na Casa Branca com paralisação no governo e derrota política

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Kevin Lamarque

    17.jan.2018 - Donald Trump no Salão Oval da Casa Branca

    17.jan.2018 - Donald Trump no Salão Oval da Casa Branca

No dia em que completa um ano de sua posse na presidência norte-americana, neste sábado (20), Donald Trump precisa enfrentar uma grande derrota política: a paralisação parcial do governo federal pela falta de recursos.

A paralisação do governo, conhecida como 'shutdown', começou hoje à 0h01 e afetando ministérios e agências federais como a Nasa. Escritórios centrais, como a Casa Branca, o Congresso, o Departamento de Estado e o Pentágono permanecerão operacionais, mas com equipes reduzidas. 

Esse é primeiro 'shutdown' na história moderna norte-americana que ocorre com um único partido, o Republicano, controlando a Casa Branca, a Câmara e o Senado.

Saiba mais:

A incapacidade de Trump de conseguir um acordo apesar de ter maioria republicana em ambas as casas do Congresso consolidou uma das maiores derrotas de sua gestão.

Os militares deverão se apresentar para trabalhar, mas a tropa -- inclusive as que estão em áreas de combate --possivelmente não receberão durante esses dias.

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, advertiu que algumas operações militares ficarão suspensas, ressaltando que a falta de verbas não afetará as operações no Afeganistão e nem contra o Estado Islâmico.

O impasse ocorreu depois de a Casa Branca e os republicanos não conseguirem acordo com os senadores democratas para aprovar orçamentos que regularizam a situação de 800 mil imigrantes sem documento - os chamados "sonhadores", que chegaram aos EUA de maneira ilegal ainda como menores de idade -, uma demanda da oposição rejeitada pelo governo Trump.

A proposta orçamental apresentada pelos republicanos obteve mais votos a favor (50) do que contra (48), mas foram insuficientes para aprovar fundos que exigiam o apoio de 60 senadores. Cinco senadores de cada partido votaram contra suas respectivas maiorias.Esta proposta, que a Câmara dos Deputados aprovou na quinta-feira, proporcionaria financiamento do governo até 16 de fevereiro, prolongando assim o prazo de negociação entre democratas e republicanos para os orçamentos definitivos.

A última vez que o governo dos Estados Unidos teve que paralisar suas atividades por falta de fundos foi em outubro de 2013, com Barack Obama, uma pausa que durou 16 dias. Obama mandou mais de 800 mil funcionários públicos - aqueles considerados "não essenciais" - para suas casas, fechou museus e parques nacionais, além de cancelar tratamentos experimentais em centros federais de pesquisa médica.

Na época, o Partido Democrata, de Obama, tinha maioria no Senado, mas era minoria na Câmara.

No Twitter, Trump culpa democratas

Trump foi ao Twitter na manhã deste sábado culpou os democratas pela paralisação e reclamou da postura dos senadores. "Os democratas estão muito mais preocupados com imigrantes ilegais do que com nosso grande Exército ou com a segurança da nossa fronteira no sul. Eles facilmente poderiam ter feito um acordo, mas em vez disso decidiram brincar de política de paralisação", disse Trump.

"Esse é o aniversário de um ano da minha presidência e os democratas queriam me dar um belo presente", ironizou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos