Topo

EUA e 14 países europeus decidem expulsar diplomatas russos por envenenamento no Reino Unido

Don Emmert e Natalia Kolesnikova/ AFP
Imagem: Don Emmert e Natalia Kolesnikova/ AFP

Do UOL, em São Paulo

2018-03-26T10:12:52

2018-03-26T11:28:31

26/03/2018 10h12Atualizada em 26/03/2018 11h28

O presidente dos EUA, Donald Trump, ordenou a expulsão de 60 diplomatas russos em resposta ao envenenamento de um ex-espião russo no Reino Unido. Outros 14 países europeus, como França e Alemanha, também confirmaram que pedirão a saída de representantes diplomáticos russos de seus países.

O ex-espião Sergei Skripal e sua filha, Yulia, foram envenenados com um agente nervoso no último dia 4 de março em Salisbury, no sul da Inglaterra. Reino Unido, França e EUA atribuíram o ataque à Rússia, criando uma crise diplomática com o Kremlin. Os dois ainda estão hospitalizados.

O governo americano determinou ainda o fechamento do consulado russo na cidade de Seattle como parte das medidas para punir Moscou, em solidariedade com aliados europeus. Entre os russos que serão obrigados a deixar o país estão 48 integrantes do consulado de Seattle e 12 da missão diplomática russa na ONU. Eles devem sair em sete dias.

Em uma nota oficial, a Casa Branca informa que a ação foi adotada "em conjunto com nossos aliados da Otan", acrescentando que Washington está disposta a construir melhores relações com Moscou, mas que isso só será possível "com uma mudança no comportamento do governo da Rússia".

Esta é a ação mais dura já anunciada pelo governo Donald Trump contra a Rússia.

O Canadá também ordenou a expulsão de quatro diplomatas russo e negou credencial a outros três pelo caso do envenenamento do ex-espião russo.

O Ministério de Relações Exteriores russo chamou os países que retaliaram com as expulsões de "fantoches das autoridades britânicas" e considerou a medida um "passo nada amigável" e um "gesto provocativo".

Europeus anunciam expulsões

O presidente do conselho europeu, Donald Tusk, confirmou que 14 países da União Europeia também expulsarão diplomatas russos. "Medidas adicionais, incluindo novas expulsões, não estão excluídas nos próximos dias e (próximas) semanas", acrescentou Tusk.

A França anunciou a expulsão de quatro diplomatas russos. A Alemanha expulsou o mesmo número, quatro diplomatas, assim como a Polônia. A Ucrânia exigiu a saída de 13 diplomatas. A Holanda, Itália e a Dinamarca pediram a saída de dois diplomatas cada. A Lituânia, por sua vez, baniu 44 russos de entrarem em suas fronteiras e expulsou três diplomatas. A Letônia, pediu a saída de um diplomata.

O Reino Unido já tinha exigido a saída de 23 diplomatas --eles deixaram o país na semana passada. Além disso, Londres suspendeu as relações bilaterais de alto nível com o governo do presidente Vladimir Putin.

Moscou está desconfortável com a postura dos Estados europeus sobre o envenenamento do ex-agente duplo Sergei Skripal e sua filha na Inglaterra, disse neste sábado à agência de notícias RIA, citando o Kremlin.

"É um grande desconforto para nós ter contrapartes imprevisíveis e agressivos. Mas essa é a realidade com a qual temos que conviver", disse o porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov, segundo a agência.

Mais Internacional