Dos EUA ao Japão, greve de caminhoneiros ganha espaço na mídia internacional

Do UOL, em São Paulo

A greve dos caminhoneiros que nesta sexta-feira (25) chegou ao quinto dia ganhou as páginas de jornais e portais de diversos países, além de minutos em televisões estrangeiras nesta semana.

"Caminhoneiros entraram em greve no Brasil contra o aumento do preço da gasolina [...], ameaçando a recuperação letárgica do país e colocando o governo sem dinheiro na parede", escreveu o americano The Wall Street Journal. 

A rede de televisão CNN, por sua vez, dedicou reportagem de mais de dois minutos, na qual destacou o risco de escassez de alimentos e materiais hospitalares no país.

Veja também:

Também dos Estados Unidos, a agência Bloomberg reportou que faltam pães de sanduíche nos McDonald's do Rio de Janeiro devido à greve. 

"Os bloqueios paralisaram boa parte da economia do país e levaram São Paulo, a maior cidade da América do Sul, a declarar estado de emergência devido à falta de gasolina", diz o britânico The Guardian

"O governo tinha anunciado com certo otimismo na quinta-feira à noite que uma parte dos dirigentes sindicais se comprometera a 'suspender o movimento", o que não ocorreu", explicou a revista francesa LePoint.  

O argentino La Nación sinalizou que "apesar das concessões do governo Temer, os caminhoneiros mantiveram a greve".

"Supermercados e postos de gasolina estão vazios, e toda a indústria automobilística brasileira teve de parar sua produção", diz reportagem da versão online do alemão Spiegel.

O jornal econômico Nikkan, do Japão, destacou que a "obstrução de vias arteriais do país afetou a exportação de produtos agrícolas"

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos