Topo

Sob Bolsonaro, Brasil assume liderança dos Brics em 2019

Talita Marchao

Do UOL, em Buenos Aires

2018-11-30T12:33:05

30/11/2018 12h33

Em clima de despedida durante a cúpula informal dos Brics, que aconteceu paralelamente ao G20 em Buenos Aires na manhã desta sexta-feira (30), o presidente Michel Temer (MDB) afirmou que o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), receberá os líderes de China, Rússia, Índia e África do Sul no Brasil no próximo ano, quando assume a presidência rotativa do grupo.

Nesta semana, o Brasil retirou o convite para sediar conferência da ONU sobre mudanças climáticas, a COP-25, e Bolsonaro afirmou que influenciou essa decisão.

“Como sabem todos, estamos em processo de transição no Brasil. Convidei o Presidente eleito Jair Bolsonaro a vir comigo a Buenos Aires para a Cúpula do G20 e para este encontro do Brics. Infelizmente, ele não pôde estar conosco hoje, como era seu desejo. Pediu-me transmitir-lhes seus cumprimentos e a mensagem de que terá grande prazer em recebê-los, no Brasil, no próximo ano, por ocasião da Cúpula do Brics”, afirmou Temer em discurso aos presidentes da China, Xi Jinping, da Rússia, Vladimir Putin, da África do Sul, Cyril Ramaphosa, e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi.

Leia mais:

A presidência dos Brics é revezada, anualmente, entre os países. Em 2018, a África do Sul tinha a liderança.

“A força do Brics está naquilo que nos mantém coesos. Está naqueles temas em torno dos quais podemos convergir e gerar resultados concretos. Individual e conjuntamente, levantamos nossas vozes contra o protecionismo e em defesa de um sistema internacional de comércio baseado em regras”, disse Temer.

Segundo o presidente, passados dez anos crise econômica global, o mundo enfrenta momentos desafiadores. “Não são os mesmos desafios, mas são desafios também coletivos, que passam por tendências ao protecionismo, ao isolacionismo, ao unilateralismo. E que, portanto, exigem, como antes, respostas coletivas. Exigem que nos mantenhamos apegados à mesma ideia, como disse, singela mas poderosa: a ideia singela de unirmos esforços. E é o que temos feito, sob o signo do que já se tornou nossa tradição”, disse.

Segundo Temer, foi proposta a aproximação de parques científicos e tecnológicos dos cinco integrantes do bloco. “A Rede de Inovação do Brics – a chamada “iBrics” – poderá ter papel central, em cada uma de nossas economias, no desenvolvimento de produtos de alto valor tecnológico.”

Ele afirmou ainda que os trabalhos de cooperação incluem pesquisas na área da saúde, citando os trabalhos no combate à tuberculose, permitindo “reduzir os custos dos medicamentos e poupar recursos públicos”. “Estamos confiantes na criação de um Centro de Pesquisa em Vacinas do Brics, projeto sul-africano. Contem com o Brasil para darmos forma a mais essa iniciativa”, disse.

Mais Internacional