Topo

Bolsonaro confirma saída de chefe da Apex, pivô de crise no Itamaraty

Divulgação
O novo presidente da Apex, Mário Vilalva, após reunião com o presidente Jair Bolsonaro e o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo Imagem: Divulgação

Luciana Amaral e Talita Marchao*

Do UOL, em Brasília e em São Paulo

2019-01-10T19:51:31

2019-01-10T20:35:12

10/01/2019 19h51Atualizada em 10/01/2019 20h35

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) confirmou nesta quinta-feira (10) a demissão do presidente da Apex Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), Alex Carreiro. O presidente reuniu-se com o indicado pelo chanceler Ernesto Araújo, o embaixador Mário Vilalva, em seu gabinete hoje.

A demissão de Carreiro havia sido anunciada por Araújo na quarta-feira, mas o presidente da Apex recusou a demissão e seguiu trabalhando normalmente nesta quinta.

A assessoria de imprensa da Apex, órgão vinculado ao Itamaraty, confirmou que Carreiro efetuou, mesmo após o anúncio de que sairia, "despachos internos e recebeu para audiências autoridades de Estado". 

Substituto é próximo de militares

Araújo indicou o embaixador Mauro Vilalva para substituir Carreiro. Ex-embaixador no Chile, em Portugal e na Alemanha, o diplomata tem experiência em negociações comerciais e é próximo de militares ligados ao governo, segundo fontes relataram ao UOL.

Pelo Twitter, o chefe do Itamaraty afirmou que a demissão foi pedida pelo próprio Carreiro. Mas relatos que circulavam hoje davam conta que o ex-presidente da Apex não aceitou a saída, motivada por atritos com a empresária Letícia Catelani.

Indicada para a diretoria de Negócios da agência por Araújo, Catelani foi alvo de reclamação do chefe demitido. Ela, por sua vez, não gostou de Carreiro ter exonerado 18 pessoas em menos de uma semana no governo e queria reverter as demissões. (Com Agência Estado)