PUBLICIDADE
Topo

Deputados do Chile aprovam corte provisório de 50% nos próprios salários

Manifestantes exigem implementação de reformas sociais no Chile - Getty Images
Manifestantes exigem implementação de reformas sociais no Chile Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

27/11/2019 20h02

O Parlamento chileno aprovou hoje, por unanimidade, um corte provisório de 50% nos salários de todos os congressistas, de forma a aliviar as contas públicas do país. A medida ficará em vigor por 60 dias.

Todos os 150 deputados chilenos votaram a favor do corte. Apenas os prefeitos, vereadores e membros do Judiciário e do Ministério Público ficaram de fora.

Durante o período de vigência da medida, uma comissão autônoma vai definir os novos tetos para os salários dos parlamentares. Adicionalmente, será discutido se servidores que já trabalharam no Banco Central e na Controladoria Geral da República também terão os salários reajustados.

A redução é uma resposta aos protestos contra o presidente Sebastián Piñera que tomaram as ruas do Chile nos últimos 40 dias. Não à toa, Piñera alcançou o menor índice de aprovação de um presidente desde a redemocratização do país, em 1990.

Outros planos de ação

Ontem, o presidente chileno já havia anunciado que enviará ao Congresso um plano para recuperar as cidades dos danos gerados nos protestos sociais e outro para impulsionar a economia nacional, afetada pelas longas manifestações e greves.

"O que faremos com esse plano para impulsionar a economia é recuperar nossa capacidade de crescer, criar empregos, melhorar salários, criar oportunidades para as pequenas e médias empresas e, dessa forma, conseguir que nossa economia recupere seu curso em direção ao progresso", disse Piñera.

*Com Agência Brasil

Internacional