PUBLICIDADE
Topo

Família alemã que apoiou o Nazismo ajudará sobreviventes do Holocausto

Localizado no sul da Polônia, Auschwitz foi o maior campo de extermínio nazista	 - picture-alliance/Zuma/D. Klamka
Localizado no sul da Polônia, Auschwitz foi o maior campo de extermínio nazista Imagem: picture-alliance/Zuma/D. Klamka

Do UOL, em São Paulo

12/12/2019 16h19

A tradicional família alemã Reimann, dona de marcas globais como Krispy Kreme Doughnuts e Pret A Manger, vai doar milhões de dólares para apoiar sobreviventes do holocausto, após ter feito uso de trabalho forçado e apoiar o ditador Adolf Hitler durante o Nazismo.

Além de já ter doado US$ 5,5 milhões para a Claims Conference, que desde 1951 luta pela compensação às vítimas do Nazismo, a família vai anunciar hoje mais US$ 5,5 milhões para ajudar famílias de prisioneiros que trabalharam para suas empresas no regime totalitarista alemão.

Segundo a AP, mais US$ 28 milhões serão destinados anualmente para promover a educação sobre o Holocausto e os valores democráticos para impedir o crescimento do da extrema-direita no país europeu.

A fundação Alfred Landecker foi estabelecida em Berlim para supervisionar as doações, nomeada por um alemão judeu que foi morto por nazistas e cujos netos possuem 45% das ações da JAB, a empresa de investimentos da família Reimann.

Os US$ 5,5 milhões dedicados ao programa de assistência emergencial da Claims Conference serão distribuídos por cerca de 200 agências de assistência social nos próximos três anos, disse Greg Schneider, vice-presidente executivo da conferência.

Este ano, cerca de 10.500 sobreviventes do Nazismo, com idade média de 83 anos, foram ajudados por crises financeiras de curto prazo pelo programa em 34 países. O financiamento adicional permitirá aumentar os pagamentos, ou cerca de mais 3.000 sobreviventes receberão assistência.

Internacional