PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Em quarentena, croatas correm de casa após terremoto: 'Natureza está brava'

Antonio Bronic/Reuters
Imagem: Antonio Bronic/Reuters

Bruno Aragaki

Do UOL, em São Paulo

22/03/2020 13h37

Uma sequência de tremores nesta manhã, incluindo um de magnitude 5,3 (moderado) na escala Richter, obrigou os moradores de Zagreb, a capital da Croácia, a saírem correndo do isolamento imposto pelo coronavírus.

"Chacoalhou tudo durante uns dez segundos. Caíram coisas da minha estante, minha bicicleta tombou, e acordei assustado. Peguei documentos, dinheiro, máscara e desci rápido", relatou ao UOL Igor Slivac, professor da universidade de Zagreb.

Slivac - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Slivac: gripado e em meio à crise da covid-19, saiu de casa correndo após terremoto
Imagem: Arquivo pessoal
O primeiro tremor foi registrado às 6h24 a menos de dez quilômetros da capital, onde vivem cerca de 800 mil pessoas. Outros dois tremores se seguiram e obrigaram os habitantes, em quarentena devido aos 254 casos de covid-19 registrados no país, a desobedecer à recomendação de permanecer em casa.

A Croácia tem 4 milhões de habitantes.

"Estamos enfrentando agora duas crises: a do coronavírus e a do tremor. É importante evitar aglomerações", disse o ministro de interior do país, Davor Bozinovic.

"Muita gente desceu de pijama, e como que por ironia, voltou a nevar. Parece que a natureza está brava", disse Slivac.

Segundo a agência de notícias governamental, Hina, os tremores deixaram 17 feridos, incluindo uma adolescente que corre risco de morte após ter sido atingida por escombros do seu prédio.

"Foi o pior tremor em 140 anos no país. Recomendamos que as pessoas, apesar do frio, permaneçam fora de casa", disse o primeiro ministro Andrej Plenkovic,

O tremor danificou o centro histórico de Zagreb, derrubou fachadas de prédios e causou danos na torre de uma das igrejas da cidade, que tem forte tradição católica.

Droga croata é candidata ao combate à covid-19

Ainda não se sabe se houve danos a universidades e a centros de pesquisa.

A Croácia é berço da azitromicina, antibiótico que vem sendo testado preliminarmente em combinação com a hidroxicloroquina (usada no combate à malária), como possibilidade de tratamento para a covid-19.

A eficácia dessa combinação ainda não é certa, e os testes estão em fase inicial. Mas a menção à droga, especialmente à família da cloroquina, causou corrida às farmácias e falta do componente.

Coronavírus