PUBLICIDADE
Topo

Trump considera decretar quarentena em Nova York

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos - Win McNamee/Getty Images
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos Imagem: Win McNamee/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

28/03/2020 14h39Atualizada em 28/03/2020 19h40

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou hoje que está considerando a possibilidade de decretar quarentena no estado de Nova York. Ele disse que a decisão deve ser tomada ainda hoje.

Saindo da Casa Branca hoje pela manhã, Trump disse que a medida deve atingir o estado de Nova York, algumas áreas de Nova Jersey e partes de Connecticut.

"Talvez não precisemos fazer isso, mas existe a chance de que decretemos uma quarentena, de curto prazo, duas semanas, em Nova York", declarou o presidente.

Trump disse conversou com o governador de Nova York, Andrew Cuomo, e acrescentou que a quarentena poderia incluir até restrições de viagens para impedir que pessoas de Nova York levem o vírus para outros estados. "Eles estão tendo problemas na Flórida. Há muitos novaiorquinos descendo para lá, nós não queremos isso", explicou.

O governador, no entanto, disse que a conversa com o presidente não chegou a tocar nesse assunto. "Eu não sei nem o que isso significa, não sei como pode se decretar legalmente uma quarentena forçada", disse Cuomo. "Eu não gosto nem de como isso soa".

Primárias adiadas em Nova York

Cuomo também anunciou hoje que as primárias democratas de Nova York para a eleição presidencial deste ano que aconteceriam no dia 28 de abril foram adiadas para 23 de junho por conta do novo coronavírus.

"Não acho inteligente trazer um monte de gente para um lugar para votar, muitas pessoas tocando uma maçaneta, muita gente tocando uma caneta", declarou o governador. "Nós vamos realizar junto com uma outra eleição que já estava agendada para 23 de junho", explicou.

Outros 10 estados e Porto Rico adiram suas primárias, alguns inclusive abriram votação exclusivamente por e-mail.

Navio hospital

Em pronunciamento nesta tarde, Trump acompanhou partida de navio hospital para Nova York, que irá abrigar novos leitos de pacientes que precisam de atendimento, mas não estão infectados com o novo coronavírus.

Os atendimentos começarão a partir de terça-feira (2) para suprimir as necessidades na área metropolitana, como cuidados emergenciais de cirurgias e outros problemas. O navio é equipado com salas de cirurgias, laboratórios médicos, farmácia, serviços de radiologia, heliporto e outros.

"Assim, novos leitos serão abertos por toda a cidade para aqueles que estão infectados. Isso vai ajudar a conter a transmissão dos vírus", declarou.

Errata: o texto foi atualizado
O navio hospital em Nova York vai abrigar novos leitos de pacientes que precisam de atendimento, mas não estão infectados com o novo coronavírus. O texto original, no antepenúltimo parágrafo, informava erradamente que era para quem está infectado. A informação foi corrigida.

Coronavírus