PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Primeiro-ministro britânico foi tratado como paciente comum, diz enfermeira

Boris Johnson, premiê britânico - EDDIE MULHOLLAND/AFP
Boris Johnson, premiê britânico Imagem: EDDIE MULHOLLAND/AFP

Do UOL, em São Paulo

23/04/2020 12h08

Elogiados pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, por seus cuidados enquanto ele estava internado com covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, os enfermeiros disseram que trataram o político como qualquer outro paciente.

Neozelandesa, Jenny McGee disse que não se incomodou com o fato de precisar cuidar de Johnson. "Havia muito interesse da mídia por ele estar no hospital e, para ser honesta, isso foi o mais difícil", disse McGee à TVNZ em entrevista que foi ao ar hoje. Foi a primeira vez que ela se manifestou publicamente sobre o assunto.

"Como pessoa, ele era apenas mais um paciente pelo qual estávamos tentando fazer o nosso melhor, por isso era normal", acrescentou ela, que trabalha no NHS (serviço nacional de saúde do Reino Unido) desde 2010.

Já o português Luis Pitarma se manifestou por meio de uma declaração divulgada pelo hospital St. Thomas, em Londres, onde Johnson ficou internado.

"Perguntei como ele gostaria de ser abordado e ele disse para chamá-lo de Boris. Isso me deixou menos nervoso porque ele retirou qualquer formalidade", revelou Pitarma, segundo a agência Reuters.

"Eu nunca cuidei de alguém conhecido antes. Mas ele também era um paciente como qualquer outro paciente, uma vida como qualquer outra vida", falou ele.

Ao receber alta do hospital em 12 de abril, o primeiro-ministro agradeceu ao serviço público de saúde por ter salvado "sua vida", e nomeou vários enfermeiros que cuidaram dele, especialmente Jenny e Luis.

Coronavírus