PUBLICIDADE
Topo

Milhões de animais serão abatidos nos EUA durante a pandemia de coronavírus

David McNew via Getty Images
Imagem: David McNew via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

19/05/2020 10h01Atualizada em 19/05/2020 10h22

Milhões de animais de criação serão abatidos em razão das paralisações de frigoríficos e abatedouros causadas pelo novo coronavírus nos Estados Unidos.

Tiro, asfixia e afogamento estão entre os métodos de abate usados até agora, o que gerou revolta em organizações de proteção aos animais, segundo o jornal britânico The Guardian.

Cerca de 10 milhões de galinhas foram abatidas por causa do fechamento de matadouros americanos. Grande parte desses animais morreu sufocada por uma espuma a base de água, semelhante à usada contra incêndios.

O mesmo pode acontecer com os porcos. Empresários do ramo de suínos alertaram para um possível abate de mais de 10 milhões de animais até setembro, também pela baixa demanda e fechamento de frigoríficos.

As técnicas usadas no abate dos porcos variam entre asfixia por gases, tiro e overdose de anestésico. Em casos específicos, também pode ser usada a asfixia por CO2, segundo a Associação Americana de Medicina Veterinária (Avma - sigla em inglês).

O massacre ocorre mesmo com aumento da demanda por comida no país que, de acordo com os bancos de alimentos americanos, já atingiu uma fome generalizada entre os mais pobres.

A indústria de suprimentos de carne dos EUA foi duramente atingida após o fechamento de matadouros devido às taxas de infecção da covid-19 entre os funcionários.

Cerca de 30 a 40 fábricas foram fechadas, isso significa que a capacidade de abate de bovinos e suínos foi reduzida em 25% e 40%, respectivamente, segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Alimentação e Comércio (UFCW - sigla em inglês).

O fechamento dos abatedouros incapacitou o consumo desses animais e resultou no abate generalizado.

Coronavírus