PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Coronavírus: casamento na Jordânia fez com que 85 pessoas fossem infectadas

Imagem meramente ilustrativa - iStock
Imagem meramente ilustrativa Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

22/05/2020 13h54

Um casamento no norte da Jordânia fez com que 85 fossem infectadas pelo novo coronavírus e uma tenha morrido, segundo estudo publicado pelo Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos.

Segundo pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia da Jordânia, a cerimônia foi realizada em 13 de março na cidade de Irbid e contou com a presença de cerca de 360 pessoas. Naquela época, o país tinha apenas um caso confirmado de covid-19.

O estudo conduziu testes em 350 pessoas para verificar possíveis casos dentro de quatro semanas após a exposição no casamento, incluindo pessoas que estavam na cerimônia e pessoas que tiveram contatos próximos com os participantes.

O resultado mostrou que ao menos 85 pessoas com histórico de exposição relacionada ao casamento apresentaram resultado positivo para o novo coronavírus. Destes, 76 (89,4%) compareceram ao casamento e 9 (10,6%) não compareceram ao casamento, mas foram contatos próximos de casos confirmados dos convidados. Todos foram internados e monitorados.

Os pesquisadores acreditam que o primeiro paciente do surto foi o pai da noiva, de 58 anos, que teve histórico de viagem para a Espanha, um dos países da Europa mais atingidos pela covid-19.

Dos 76 convidados que foram diagnosticados com covid-19, 40 (52,6%) eram sintomáticos e 36 (47,4%) eram assintomáticos. Entre os sintomáticos, as queixas mais frequentes foram tosse (70%), febre (60%), coriza ou congestão nasal (52,5%), dor de cabeça (35%), dor de garganta (25%), fadiga ou dor muscular (17,5%) e falta de ar (12,5%).

Uma mulher de 80 anos com câncer de mama desenvolveu pneumonia progressiva e insuficiência respiratória e morreu duas semanas após a admissão no hospital para monitoramento.

Os pesquisadores concluíram que a covid-19 é uma "ameaça à saúde pública" e que a taxa de transmissão do vírus em reuniões sociais pode ser "muito maior".

Coronavírus