PUBLICIDADE
Topo

França veta uso de estrangulamento como método de prisão após caso Floyd

08.jun.2020 - Christophe Castaner, Ministro do Interior da França - ISA HARSIN / AFP / POOL
08.jun.2020 - Christophe Castaner, Ministro do Interior da França Imagem: ISA HARSIN / AFP / POOL

Do UOL, em São Paulo

09/06/2020 08h44Atualizada em 09/06/2020 10h45

O ministro do Interior da França, Christophe Castaner, anunciou ontem que o uso do estrangulamento como método de prisão está banido no país.

"Ele não será mais ensinado nas escolas de polícia e guarda civil. É um método que tem seus perigos", disse Castaner à imprensa.

No último fim de semana, 23 mil pessoas foram às ruas em diferentes cidades da França para protestar contra o racismo e a violência policial, além de pedir justiça no caso George Floyd — homem negro brutalmente assassinado por um policial branco há duas semanas em Minneapolis, no estado norte-americano de Minnesota. Na abordagem, o policial ficou por 8 minutos com o joelho apoiado sobre o pescoço de Floyd.

O caso jogou luz sobre as acusações de brutalidade policial na França. Somente em 2019, foram registradas 1.500 denúncias contra a polícia francesa, sendo que metade delas são reclamações de violência.

Castaner disse que muitos oficiais franceses têm falhado em sua missão republicana nas últimas semanas, quando vieram à tona muitos casos e comentários racistas, e afirmou que haverá tolerância zero para o racismo no país.

"Não basta condená-lo, temos que rastrear e combater", declarou o ministro.

Internacional