PUBLICIDADE
Topo

'Ele inventa fatos, inventa ciência', diz governador de NY sobre Trump

6.jul.2020 - O governador de Nova York, Andrew Cuomo, em coletiva de imprensa sobre a situação da covid-19 no estado - David Dee Delgado/Getty Images/AFP
6.jul.2020 - O governador de Nova York, Andrew Cuomo, em coletiva de imprensa sobre a situação da covid-19 no estado Imagem: David Dee Delgado/Getty Images/AFP

Do UOL, em São Paulo

06/07/2020 15h19Atualizada em 06/07/2020 16h24

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, acusou hoje o presidente Donald Trump de estar "facilitando" a disseminação do novo coronavírus por não reconhecer a gravidade da pandemia. Para o democrata, o recente aumento de casos no país se deve aos comentários de Trump, que "inventa" fatos científicos para embasar suas posições.

"Ele inventa fatos, inventa ciência", disse Cuomo após citar declarações do presidente, como a de que o vírus "desapareceria" à medida que o tempo esquentasse. "Ele disse todas essas coisas e nenhuma delas era verdade. E agora temos um problema em 38 estados porque algumas pessoas acreditaram nele", continuou.

Cuomo, segundo relata o "The Guardian", também pediu a Trump que não seja um "co-conspirador" da covid-19 e admita o "grande problema" que ela representa.

"Então, senhor presidente, não seja um co-conspirador da covid-19. Reconheça ao povo norte-americano que a covid-19 existe, é um grande problema e vai continuar sendo até que admitamos e nos levantemos para fazer a nossa parte. Se ele não fizer isso, está facilitando o avanço da doença", afirmou o governador.

O número de mortes pelo coronavírus nos EUA se aproximou hoje de 130 mil, após uma onda de novos casos que pôs em xeque as políticas de enfrentamento da crise adotadas por Trump e frustrou as tentativas de reabrir a economia, obrigando muitos estados a recuarem e desistirem de retomar as atividades.

Nova York, anunciou Cuomo, tem 817 pacientes de covid-19 hospitalizados, o menor número desde 18 de março. O estado ainda confirmou mais nove mortes de ontem para hoje.

"Os números caíram desde que iniciamos a reabertura", disse.

Coronavírus