PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Em meio a pandemia, Macron gera tumulto e tira máscara em visita a Beirute

Do UOL, em São Paulo

06/08/2020 11h45Atualizada em 06/08/2020 12h44

O presidente da França, Emmanuel Macron, gerou aglomeração e tumulto nas ruas de Beirute hoje ao visitar a cidade devastada pela explosão de um depósito na área portuária na terça-feira (4). O acidente deixou ao menos 157 mortos, mais de 5.000 pessoas feridas e milhares de desabrigados.

Em vídeos publicados no Twitter pelo correspondente da BBC no Oriente Médio Quentin Sommerville, uma multidão se amontoa durante a passagem de Macron por um bairro afetado pela explosão. O presidente francês chega a abaixar a máscara em um momento para falar com a população.

Também é possível ver alguns seguranças de Macron sem máscara ou com elas abaixadas. Segundo relatos de agência de notícias e veículos de imprensa internacionais, o líder francês chegou a apertar as mãos e abraçar pessoas nas ruas.

As imagens contrariam as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) para evitar a propagação do novo coronavírus.

Macron pede por mudança política

Durante sua passagem pelas ruas de Beirute, Macron ouviu pedidos de ajuda por parte da população, que culpou o governo libanês pela crise econômica no país.

O presidente francês prometeu enviar mais suprimentos para o Líbano e afirmou que a explosão em Beirute poderia ser a oportunidade para uma grande mudança no país, segundo informações da rede Al Jazeera.

"Eu vejo a emoção nos rostos de vocês, a tristeza, a dor. É por isso que estou aqui", disse Macron. "Mas o que também é preciso aqui é uma mudança política. Essa explosão deve ser o início de uma nova era."


Internacional