PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ex diz que polícia usou informação errada em ação que matou Breonna Taylor

Breonna Taylor morta em Louisville em março em ação policial - Reprodução/Facebook
Breonna Taylor morta em Louisville em março em ação policial Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

28/08/2020 10h57

O ex-namorado de Breonna Taylor disse que a polícia errou ao cumprir um mandado de buscas na casa da jovem, em Louisville, nos Estados Unidos, em março deste ano, e que resultou na sua morte.

Jamarcus Glover foi preso ontem acusado de tráfico de drogas. Ele era alvo de uma investigação que levou a polícia a cumprir um mandado de busca no apartamento da jovem. Ela foi morta a tiros pelos agentes. Na época, os dois já não eram mais namorados.

Glober disse ao jornal Louisville Courier na véspera da prisão que a polícia "usou informações equivocadas e erradas para obter aquele mandado".

"A polícia está tentando fazer com que pareça minha culpa e denunciando toda a comunidade aqui, fazendo parecer que eu fui responsável pelo que aconteceu com Taylor", disse Glover. "Eles fizeram isso da maneira errada, mentiram sobre o mandado de busca e atiraram na garota", completou.

A família de Breonna sempre alegou que a jovem não tinha envolvimento com drogas. "Sempre foi nossa posição e ainda é que ela nunca esteve envolvida em qualquer atividade ilegal", disse o advogado da família de Taylor, Lonita Baker, à CNN.

Glover foi preso por uma série de acusações ligadas às drogas, entre elas, tráfico de maconha, adulteração de provas físicas e cumplicidade com tráfico de cocaína. Ele está detido sob fiança de US$ 50 mil (aproximadamente R$ 300 mil). Ele também foi preso na noite em que a ex-namorada foi morta, mas conseguiu sair sob fiança.

No dia da ação policial, em 13 de março, Taylor estava em casa com seu então namorado quando ouviram um barulho. O namorado deu um tiro de advertência, achando que podiam ser ladrões. Era a polícia, que reagiu com tiros. Um deles atingiu Breonna.

Internacional