PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
6 meses

Comissão cancela segundo debate entre Donald Trump e Joe Biden

Trump e Biden só fizeram um debate até agora - Jim Watson/Saul Loeb/Montagem/AFP
Trump e Biden só fizeram um debate até agora Imagem: Jim Watson/Saul Loeb/Montagem/AFP

Colaboração para o UOL

09/10/2020 19h30

A comissão que organiza os debates da eleição presidencial dos Estados Unidos cancelou o próximo evento, que aconteceria no dia 15 de outubro. Portanto Donald Trump e Joe Biden não vão ficar frente a frente nesta data, em Miami. A votação será encerrada no dia 3 de novembro.

A comissão tinha proposto que Trump e Biden fizessem um debate virtual, já que o atual presidente dos EUA foi infectado pelo coronavírus recentemente. Trump alegou que está liberado para viajar e se recusou a participar de um debate que não fosse presencial. Ele até pressionou Biden sobre isso, mas não conseguiu convencer o adversário.

A campanha de Trump apresentou outra proposta: adiar o debate do dia 15 para o dia 22. Mas isso também foi descartado agora.

Apesar do cancelamento do debate do dia 15, ainda é possível que eles se encontrem antes do final da eleição. Há um debate marcado para o dia 22 de outubro, em Nashville, que ainda precisa ser confirmado pela comissão.

Trump falará em evento na Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos participará amanhã de um evento na Casa Branca, que espera receber centenas de convidados, segundo convite obtido pela ABC News. A informação também foi confirmada à emissora por fontes do governo.

Os portões da Casa Branca abrirão ao público às 11h30 (horário local, 12h30 em Brasília). Trump deve aparecer em uma varanda, mantendo-se distante do público, e falar sobre "lei e ordem", ainda de acordo com a ABC News.

O encontro está programado para acontecer no Jardim Sul da Casa Branca, junto a um outro evento previamente organizado pela ativista conservadora Candace Owens, do controverso "Blexit". O grupo tenta incentivar negros e negras a deixarem o Partido Democrata, de oposição a Trump.

Faz apenas quatro dias que o presidente norte-americano deixou o Centro Médico Walter Reed, em Washington (DC), após passar três noites internado. Especialistas ouvidos pela ABC News temem que esse tipo de evento agrave o cenário na Casa Branca, que vive um surto de casos de covid-19.

Pelo menos 34 funcionários e pessoas próximas receberam diagnóstico positivo nos últimos dias, segundo a emissora.

Não se sabe se o presidente ainda está infectado. Ontem, Trump disse que se sentia "muito bem" e que poderia tentar fazer um comício amanhã - mas assessores disseram que o pouco tempo para a organização dificultaria a realização dos eventos.

Desde o início da pandemia, Trump tem minimizado o coronavírus e frequentemente aparece sem máscara em eventos públicos. O republicano, inclusive, ironizou seu adversário nas eleições presidenciais, Joe Biden, por usar o EPI (Equipamento de Proteção Individual).

O democrata, que esteve com Trump em debate no último dia 29, também fez um teste para covid-19, que deu negativo. Nas redes sociais, Biden diz que "reza pela saúde e segurança do presidente e de sua família" — a primeira-dama Melania Trump também foi infectada.

Internacional