PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Demoníacos? Loja encerra venda de tabuleiros ouija após 'alerta espitirual'

 Imagem de tabuleiro ouija, instrumento que seria capaz de "conjurar demônios" - Reprodução/Twitter/@miasmamy
Imagem de tabuleiro ouija, instrumento que seria capaz de 'conjurar demônios' Imagem: Reprodução/Twitter/@miasmamy

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/10/2020 17h58

Sob a justificativa de que recebeu uma "mensagem dos espíritos", a cadeia de lojas de variedades britânica Poundland parou de vender tabuleiros ouija, que são instrumentos popularmente usados para tentativas de "comunicação espiritual" — alguns dizem até que com entidades demoníacas.

Um porta-voz da franquia, que opera em todo o Reino Unido, confirmou que a maioria dos tabuleiros já havia esgotado. Sobravam ainda à venda produtos somente em quatro das 33 unidades da rede na Irlanda do Norte.

Mas o representante afirma que a companhia recebeu então a suposta "mensagem dos espíritos", que alertou a empresa "para fazer desaparecer o punhado [de produtos] que restou".

A Poundland diz que os tabuleiros eram vendidos apenas a adultos, por um valor de 1 libra esterlina (um pouco mais que R$ 7), e faziam também parte da linha de decoração de Halloween em um total de 90 das 800 lojas do Reino Unido.

Repercussão

A decisão de parar de comercializar os itens espirituais agradou o conhecido ministro presbiteriano David McIlveen. Ele considerou, em entrevista ao site News Letter, que o instrumento era capaz de "controlar" os jovens.

"Eu acho que eles [os tabuleiros ouija] são uma introdução a um mundo que é muito satânico e assume o controle da mente de uma pessoa. Uma vez que a mente é assumida, ela assume o controle das ações também", disse.

Já o deputado norte-irlandês Gregory Campbell, que anteriormente apelou à regulamentação da venda dos tabuleiros, voltou atrás em seu posicionamento e concordou com a decisão da cadeia de lojas, visto que o produto também interessa os mais jovens.

O político colocou a responsabilidade sobre o varejista em vender algo que poderia ser usado para trazer uma "influência capaz de envolver uma matéria não segura" à juventude.

Internacional