PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Maioria dos eleitores latinos reprova ações de Trump na pandemia

Maioria dos latinos acredita que Trump tem culpa por ter se infectado com o novo coronavírus - Win McNamee/Getty Images
Maioria dos latinos acredita que Trump tem culpa por ter se infectado com o novo coronavírus Imagem: Win McNamee/Getty Images

Colaboração para o UOL

22/10/2020 10h30

Uma pesquisa revelou que 73% dos eleitores latinos nos Estados Unidos reprovaram a forma como Donald Trump agiu durante a pandemia de covid-19. O levantamento foi feito pela Naleo (sigla em inglês para Associação Nacional de Latinos Eleitos), por causa da proximidade da eleição norte-americana. A pesquisa foi feita entre 12 e 17 de outubro, com margem de erro de 4,9 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Portanto 73% dos eleitores disseram que Trump foi irresponsável por minimizar a gravidade da pandemia de covid-19. E essa mesma parcela também responsabiliza o presidente por ter pegado covid-19. Eles entendem que Trump não se cuidou e por isso foi infectado. O presidente chegou a ficar 3 dias internado em um hospital militar, mas se recuperou e já retomou a campanha.

Uma pesquisa semelhante, feita recentemente pela NBC News, apontou que que 52% dos americanos não confiam no que Trump diz sobre saúde. O presidente também foi apontado por uma Universidade americana como o principal meio de divulgação de notícias falsas sobre covid-19.

Stephen Nuno Perez, analista senior da pesquisa sobre eleitores latinos, disse que a questão da covid-19 é fundamental para essa parte da população dos Estados Unidos.

"Depois de sete semanas rastreando os sentimentos latinos que antecederam a eleição, é possível perceber o impacto que a covid-19 teve sobre o eleitorado latino. Vimos outras questões, como a imigração, dominarem em alguns estados, mas nunca em uma perspectiva nacional", explicou Stephen.

A pesquisa também apontou que 29% dos entrevistados disseram conhecer alguém que morreu de covid-19, enquanto 26% disseram que tiveram problemas para obter alimentos, remédios ou necessidades domésticas básicas por causa da pandemia. Já 41% disseram que tiveram que mexer em fundos de poupança e aposentadoria para pagar custos de necessidades básicas. E 29% disseram que perderam seus empregos nos últimos meses.

Internacional