PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Mulher lutando contra câncer de mama ganha peruca feita do cabelo de amigas

Dana McSwain, de 36 anos, foi diagnosticada com câncer de mama em estágio II  - Reprodução/ABC News
Dana McSwain, de 36 anos, foi diagnosticada com câncer de mama em estágio II Imagem: Reprodução/ABC News

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/10/2020 15h08

Diagnosticada com câncer de mama durante a pandemia da covid-19, Dana McSwain, de 36 anos, da Carolina do Norte (EUA), foi surpreendida ao ser presenteada com uma peruca fabricada a partir do cabelo de amigas e colegas da rede de contatos dela.

Quando teve que raspar a cabeça por conta da doença, McSwain se sentiu muito frustrada pela pouca praticidade de perucas sintéticas. "Cada peruca que eu colocava não conseguia tirá-la rápido o suficiente. Eu pensei, 'Isso não sou eu. Isso não funciona' ", relatou a mulher, segundo a ABC News.

Mas essa frustração logo passou depois que a sobrevivente do câncer fez uma postagem no Facebook, lamentando o que estava passando. "Eu escrevi sobre querer sair de casa, lamentar minha queda de cabelo e apenas pedi conselhos e dicas", conta.

O desabafo da mãe de família teve resposta de uma enfermeira chamada Carol Daley Cook, cuja filha estudava na mesma escola que a filha de McSwain.

Cook teve a ideia de criar a peruca e encontrou um fabricante de perucas customizadas em Tampa, na Flórida. O presente foi pago com doações de conhecidos do Facebook e foi criado com cabelo dela e de outras quatro mulheres, além de uma menina de 7 anos.

A garotinha, por sua vez, enviou junto ao cabelo um cartão pedindo a McSwain para "lutar como uma garota" na batalha contra o câncer de mama.

O gesto agradou a sobrevivente da doença, que adorou a peruca. Ela relatou que, antes mesmo de abrir o presente, já sabia o que era, pois desconfiou da amiga (Carol Cook) ter cortado o cabelo.

"Olhar para aquela peruca e ver as cores diferentes e como ela veio junto e saber que cada fio é algo especial e vindo de alguém especial na minha vida, foi realmente incrível", recordou McSwain. "Foi uma sensação indescritível".

Internacional