PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Nova York fecha escolas contra '2ª onda'; governador se irrita por medida

Mulher passa em frente a escola pública fechada em Nova York - EFE/EPA/Peter Foley
Mulher passa em frente a escola pública fechada em Nova York Imagem: EFE/EPA/Peter Foley

Do UOL, em São Paulo

18/11/2020 17h34

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, anunciou hoje que todas as escolas públicas da cidade terão que fechar por conta da piora na pandemia do novo coronavírus. A medida começa a valer já a partir de amanhã na cidade, que já foi considerada o epicentro das contaminações de covid-19 nos Estados Unidos no primeiro semestre.

A medida irritou o governador do estado, Andrew Cuomo, que foi questionado sobre a decisão momentos antes de o prefeito anunciar o fechamento das escolas. Em uma entrevista coletiva, Cuomo não gostou de uma pergunta sobre se anularia a determinação da cidade.

"Do que você está falando? 'Agora você vai anular'. Nós já fizemos isso! Essa é a lei!", respondeu o governador, elevando o tom de voz. Momentos depois, porém, quando comunicado sobre a decisão de De Blasio, ele se limitou a criticar o critério da cidade para fechar as escolas.

"A cidade de Nova York atingiu o limite médio de sete dias de positividade de teste de 3%", explicou o prefeito em uma publicação no Twitter, em referência à porcentagem limite que a cidade estabeleceu para novos diagnósticos de covid-19 entre as pessoas testadas. Há uma semana, esse índice se mantém acima de 3%.

Ainda segundo De Blasio, a medida foi tomada porque Nova York precisar "lutar contra a segunda onda" da doença. Cerca de 300 mil estudantes serão afetados de acordo com o jornal The New York Times. No total, o sistema de ensino público da cidade tem mais de 1 milhão de alunos matriculados.

"Infelizmente, isso significa que os prédios das escolas públicas serão fechados a partir de amanhã, quinta-feira, 19 de novembro, por muita cautela", acrescentou De Blasio.

As escolas enviaram cartas para os pais dos alunos na tarde de hoje sobre a medida. Além dos 300 mil estudantes que serão afetados, estima-se que cerca de 700 mil já estejam adotando o ensino remoto em tempo integral, e por isso não sofrerão mudanças com a medida.

Na semana passada, Cuomo já havia anunciado novas medidas para tentar controlar o aumento da contaminação na região. Desde a última sexta-feira (13), bares, restaurantes e academias do estado têm que fechar às 22h. Além disso, Cuomo disse que reuniões privadas com mais de dez pessoas estão proibidas.

Coronavírus