PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Menino morre ao atirar em si mesmo durante aula online; tia cita acidente

Onde garoto arrumou arma de fogo ainda é mistério - Reprodução
Onde garoto arrumou arma de fogo ainda é mistério Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/12/2020 14h58

Adan Llanos, de 11 anos, morreu após atirar em si mesmo durante transmissão de aula online, na última quarta-feira (2), em Woodbridge, na Califórnia (EUA). A família dele afirma que foi um acidente e desconhece origem de arma. A polícia abriu uma investigação sobre o caso.

Segundo o The Washing Post, foi a irmã do garoto quem o encontrou ferido no quarto. Ela também estava em aula em outro cômodo da residência e, ao ouvir o disparo, foi socorrer o irmão. De acordo com o site, microfone e câmera estavam desativados.

Apesar do misterioso porte de arma, a família acredita que o garoto não tinha motivos para cometer suicídio e defende a hipótese de um suposto disparo acidental.

"Pedimos a todos que se abstenham de qualquer especulação e se virem quaisquer comentários, peça-lhes educadamente que digam apenas coisas positivas. Ele não era suicida", escreveu em post no Facebook, Luis Llano, tio do garoto.

Adan também foi relatado como uma criança "cheia de vida e alegria", "amorosa" e que "procurava colocar um sorriso no rosto das pessoas", por parentes e pessoas próximas.

O Distrito Escolar Unificado de Lodi ofereceu apoio à família de Adan, aos alunos e realizou uma live em memória do garoto. "Nossos pensamentos estão com a família afetada por esta terrível tragédia", escreveu Cathy Nichols-Washer, superintendente do distrito, em um post na página do Facebook.

A tia de Adan também manifestou suas condolências via redes sociais e voltou a mencionar o ocorrido como um acidente.

"Foi um acidente estranho e nosso sobrinho era uma criança feliz. Neste momento, ver esses comentários é o que mais magoa a família e posso usar toda a ajuda que puder obter com isso", relatou Stephanie Llano.

Nell Young, diretor da Woodbridge Elementary, também lembrou as características do garoto: "Ele sempre se preocupou com os outros e sempre prestou atenção quando alguém ao seu redor estava se sentindo mal. Ele estava sempre procurando colocar um sorriso no rosto das pessoas", disse ao Lodi News.

Internacional