PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
4 meses

Cobra com escamas que mudam de cor é achada em reserva natural no Vietnã

Pele da cobra oscila entre o azul e o verde, de acordo com a intensidade e cor da luz que recebe - American Society of Ichthyologists and Herpetologists/Smithsonian
Pele da cobra oscila entre o azul e o verde, de acordo com a intensidade e cor da luz que recebe Imagem: American Society of Ichthyologists and Herpetologists/Smithsonian

Colaboração para o UOL, em São Paulo

10/12/2020 13h47

Pesquisadores exploravam uma reserva natural de Ha Giang, no norte do Vietnã, conhecida por suas montanhas de calcário, baías e vales, que dá origem a espécies exclusivas do local. Durante a rota, os homens se depararam com uma cobra 'furta-cor', que reflete as diferentes cores do arco-íris quando recebe luz.

A pesquisa foi divulgada na segunda-feira (7) na revista científica Copeia, cerca de um ano após a exploração que encontrou a cobra realizada em 2019. Segundo o estudo, a serpente pertence ao gênero Achalinus, que significa "cobras de escamas ímpares", porque suas escamas se espalham pelo corpo, em vez se sobreporem, como é comum em outras espécies.

Com o aspecto escuro, o que chamou a atenção da comunidade biológica foi a aparência da cobra, descrita como iridescente, que reflete as cores do arco-íris, revezando entre tons de verde e azul, de acordo com a intensidade e cores das luzes que recebe nas escamas.

Além da tonalidade curiosa, a Achalinus zugorum — como fora batizada a cobra — não possui fotorreceptores em seus olhos, o que revela que seu esconderijo costuma ser embaixo de folhas e da terra. A matéria científica informa que o objetivo dos pesquisadores é estudar a cobra para entender seu comportamento de reprodução e sobrevivência, para posteriormente devolvê-la à reserva vietnamita.

Serpentes que vivem dessa forma são pouco estudadas pelo biologia justamente por serem mais difíceis de serem capturadas, conforme explica Truong Nguyen, vice-diretor do Instituto de Recursos para a Ecologia e Biologia da Academia de Ciência e Tecnologia do Vietnã, no site Museus Smithsonian.

"Em 22 anos supervisionando répteis no Vietnã, eu conheci apenas seis cobras de escamas incomuns. Esse é um dos grupos de répteis menos estudados", relatou.

Aryeh Miller, um dos pesquisadores presentes no local, descreveu sua sensação ao encontrar o espécime raro: "Aquele foi um momento realmente eletrizante. A espécie tem aparência bastante única. Tão única, na verdade, que não identificamos imediatamente o que era".

Internacional