PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

Cães denunciam cobra escondida ao lado de presentes em árvore de Natal

Ella, de 14 anos, ao lado da árvore de Natal e da caixa em que a cobra foi colocada depois de capturada pela mãe - Reprodução/Felicity Richardson
Ella, de 14 anos, ao lado da árvore de Natal e da caixa em que a cobra foi colocada depois de capturada pela mãe Imagem: Reprodução/Felicity Richardson

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/12/2020 16h56

Uma família da Tasmânia foi acordada pelos cachorros latindo para a árvore de Natal, na tentativa de denunciar um "intruso", durante a madrugada da segunda-feira (14). A mãe logo pensou que o nervosismo dos cães era fruto de um rato ou coelho escondido entre os presentes, mas não: uma cobra-cabeça-de-coral era a invasora da casa.

Ao ouvir os latidos, Felicity Richards disse que levou os três cachorros da casa para outra área e foi para a cozinha pegar a maior panela disponível para capturar seja lá qual fosse o animal que estivesse no meio dos presentes.

"Tive que tirar algum tempo para organizar meus pensamentos, me acalmar e colocar minha adrenalina sob controle", disse Felicity, que esperava encontrar um rato ou coelho.

Então, a mãe se ajoelhou e corajosamente começou a mover os presentes, "pronta para pegar e liberar" o animal intruso. Apesar do medo, o resgate foi tranquilo e Felicity logo foi acordar Ella, filha dela de 13 anos, para ver a cobra capturada.

"Ela adora cobras e teria ficado arrasada se perdesse", disse Felicity para o site ABC News. A filha de fato não se decepcionou com a "visita" da cobra e até a apelidou de Ryan.

A cobra 'Ryan' ficou confinada em uma caixa até que um especialista fosse efetuar o resgate - Reprodução/Felicity Richardson - Reprodução/Felicity Richardson
A cobra 'Ryan' ficou confinada em uma caixa até que um especialista fosse efetuar o resgate
Imagem: Reprodução/Felicity Richardson

Mãe e filha transportaram a cobra da panela para um recipiente maior, enquanto esperavam por conselhos de especialistas em répteis.

Justin Kneebone, do Resgate de Répteis da Tasmânia, ouviu a história da família e aconselhou que a cobra fosse mantida em confinamento até a chegada dele para o resgate, na manhã seguinte.

"A pior coisa é ter uma cobra em uma casa se você a perder de vista e não souber onde ela está, porque isso pode causar todos os tipos de problemas", disse Justin.

O especialista ainda explicou que por conta da chegada do verão as cobras entram nas casas de pessoas para fugir do calor. "Recebemos entre 40 a 50 ligações por dia, senão mais", revelou Justin, que fez um serviço comum nesta época do ano na região da Tasmânia.

Internacional