PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Mais adiantado do mundo em vacinação, Israel autoriza uso da Moderna

iStock
Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

05/01/2021 10h47

O ministério da Saúde de Israel autorizou o uso da vacina contra covid-19 desenvolvida pela Moderna, informou um comunicado divulgado ontem pela farmacêutica norte-americana.

A empresa disse ainda que o governo israelense garantiu seis milhões de doses do imunizante e que as primeiras entregas "devem começar em breve".

O ministro da Saúde de Israel, Yuli Edelstein, afirmou não ter conhecimento de carregamentos que chegam este mês. "Para minha tristeza, provavelmente só veremos o embarque da empresa em dois meses", disse Edelstein a repórteres. "Assim que as vacinas chegarem, vamos usá-las com alegria e se a empresa quiser adiantar a chegada ficaremos felizes em receber a notificação."

Israel tornou-se o terceiro país a aprovar o uso da vacina da Moderna, após Estados Unidos e Canadá. O imunizante tem eficácia de 94,1% na prevenção da doença, segundo um estudo publicado por cientistas independentes no "New England Journal of Medicine" no dia 30 de dezembro.

Mesmo tendo começado a vacinar sua população depois de outros países, como Reino Unido e Estados Unidos, Israel tem se destacado pela proporção de habitantes imunizados, com a taxa recorde de mais de 12% da população inoculada contra a covid-19. Em relação ao grupo de maior risco, a inoculação já supera os 50% dos cidadãos.

Segundo dados da "Our World in Data", plataforma da Universidade de Oxford, 1,22 milhão pessoas foram imunizadas até o último domingo (3), de um total de cerca de 9 milhões de habitantes.

O governo anunciou que dois milhões de pessoas terão recebido uma vacina de duas doses até o final de janeiro.

No mundo inteiro, 13 milhões de pessoas foram imunizadas até o momento.

Se o planejamento do governo sair como esperado, o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, afirmou que a imunização em massa e o controle dos casos poderiam permitir que o país suspendesse em março a situação de emergência que vigora desde o início da pandemia.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, Israel registra 451.044 casos e 3.448 óbitos pela covid-19.

* Com Reuters

Internacional