PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Boris Johnson e Netanyahu parabenizam Biden, e Macron alfineta Trump

Do UOL, em São Paulo

20/01/2021 15h31Atualizada em 20/01/2021 18h49

Líderes mundiais comemoraram a chegada do novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e da vice Kamala Harris, ao poder. Mais cedo, Biden prestou juramento diante do Capitólio, em Washington —a cerimônia de posse aconteceu sob a proteção de 25 mil homens e mulheres da Guarda Nacional e sem a presença do público.

Nas redes sociais, dois dos líderes mundiais mais próximos do ex-presidente Donald Trump parabenizaram Biden e falaram em "ansiedade" para trabalhar com o democrata. Ao mesmo tempo, o presidente da França, Emmanuel Macron, recordou a decisão do ex-mandatário dos EUA de sair do Acordo de Paris e enalteceu a mudança de posicionamento dos EUA com o novo presidente.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson cumprimentou Biden pela "inauguração histórica". "A liderança da América é vital nas questões que são importantes para todos nós, desde as mudanças climáticas até a covid, e estou ansioso para trabalhar com o presidente Biden".

O premiê de Israel, Benjamin Netanyahu, também falou em ansiedade para a nova liderança e ressaltou a amizade antiga que tem com o norte-americano. "Presidente Biden, eu e você temos uma amizade calorosa há muitas décadas. Estou ansioso para trabalhar com você para fortalecer ainda mais a aliança EUA-Israel", disse.

Um dos críticos do governo Trump, o presidente da França, Emmanuel Macron, desejou felicidades ao povo americano e recordou acordos que foram desfeitos pelo antecessor e que, agora, espera ter um novo direcionamento.

"Bem-vindos de volta ao Acordo de Paris", destacou Macron. Biden já anunciou que vai assinar decretos para reverter políticas da gestão do antecessor Donald Trump, entre eles o Acordo de Paris sobre o clima.

O papa Francisco também divulgou uma declaração ao novo presidente dos EUA: "Ofereço-lhe meus cordiais votos e a garantia de minhas orações para que Deus Todo-Poderoso lhe conceda sabedoria e força no exercício de seu alto cargo", escreveu. "Sob sua liderança, que o povo americano continue a se nutrir dos altos valores políticos, éticos e religiosos que inspiraram a nação desde sua fundação".

Veja a repercussão entre outros líderes:

Pedro Sánchez, primeiro-ministro da Espanha

"Todo o sucessos e apoio da Espanha nesta fase de esperança e futuro. Trabalharemos com os EUA pela democracia e pelo fortalecimento de uma governança global mais justa, sustentável e inclusiva".

Sebastian Piñera, presidente do Chile

"Um governo que terá como missão curar a alma, promover o reencontro e fortalecer a amizade cívica. Desejo muito sucesso ao presidente Biden e aos Estados Unidos".

António Costa, primeiro-ministro de Portugal

Ursula Von Der Leyen, presidente da Comissão Europeia

"Obrigado pelo discurso inaugural inspirador e pela oferta de cooperação. A Europa está pronta para um novo começo".

Alexander van der Bellen, presidente da Áustria

"Meus mais cordiais parabéns a Joe Biden e vice-presidente Kamala Harris. Só podemos vencer os grandes desafios do nosso tempo e relançar nossas economias trabalhando juntos".

Ilir Meta, presidente da Albânia

"Estamos convencidos de que nosso relacionamento continuará a se desenvolver à medida que fortalecermos juntos nossa cooperação transatlântica".

Imran Khan, primeiro-ministro do Paquistão

"Ansioso para trabalhar na construção de uma parceria mais forte entre o Paquistão e os EUA por meio do comércio e envolvimento econômico, combate às mudanças climáticas, melhoria da saúde pública, combate à corrupção e promoção da paz na região".

Tamim bin Hamad Al Thani, emir do Qatar

"Parabéns presidente Joe Biden e vice-presidente Kamala Harris. Desejo a vocês dois sucessos contínuos e estou ansioso para levar as relações amistosas Qatar-EUA a novos patamares".

Ashraf Ghani, presidente do Afeganistão

"Nestes tempos difíceis, o Afeganistão está ao lado dos Estados Unidos enquanto começa de novo a restaurar parcerias para a paz e para enfrentar o problema de múltiplas camadas do terrorismo".

Internacional