PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
9 meses

Joe Biden toma posse como 46º presidente dos Estados Unidos

Fabio de Mello Castanho

Do UOL, em São Paulo*

20/01/2021 13h49Atualizada em 20/01/2021 18h27

O democrata Joe Biden, de 78 anos, tomou posse hoje como 46º presidente dos Estados Unidos ao prestar o juramento diante do Capitólio, em Washington. Seu antecessor, Donald Trump, não compareceu à cerimônia, quebrando o protocolo ao deixar a Casa Branca antes da chegada do novo presidente.

Kamala Harris também tomou posse como vice-presidente, sendo a primeira mulher a exercer o cargo.

Em seu discurso, Biden disse que "democracia prevaleceu" e pediu a união dos Estados Unidos após um processo eleitoral marcado por contestações infundadas por parte de Trump.

Aprendemos de novo que a democracia é preciosa. A democracia é frágil. E nesta hora, meus amigos: a democracia prevaleceu! Este é o dia da América ... Hoje celebramos o triunfo não de um candidato, mas de uma causa - a causa da democracia
Joe Biden

Em seguida, o presidente dos EUA fez um pedido voltado aos apoiadores de Trump. "A todos os que não apoiaram nossa campanha, escutem o que tenho a dizer. Se vocês ainda discordarem, tudo bem, isso é a democracia. O direito de discordar em paz. Democracia é uma das maiores forças deste país. Eu prometo a vocês, serei o presidente para todos os americanos. eu lutarei tanto pelos que não me apoiaram quanto pelos que me apoiaram", disse.

Bandeiras no lugar do público

A cerimônia de posse aconteceu sob a proteção de 25 mil homens e mulheres da Guarda Nacional e um verdadeiro aparato de guerra, com caminhões militares, blindados, barreiras e grades bloqueando todos os acessos ao National Mall - onde estão o Congresso e a Casa Branca. No último dia 6 de janeiro, apoiadores de Trump invadiram o Capitólio contestando o resultado da eleição durante a certificação da vitória de Biden.

O tradicional desfile a carro aberto pela Pennsylvania Avenue até a Casa Branca, sob os aplausos da população com bandeirinhas em punho, também foi cancelado por causa de medidas restritivas relativas à pandemia. Um evento virtual será realizado ainda na tarde de hoje.

No lugar de 200 mil espectadores e convidados que costumavam apreciar a cerimônia nacional nos anos anteriores, 200 mil bandeiras americanas foram cravadas nos gramados do local.

Entre os cerca de mil convidados presentes na cerimônia estavam os ex-presidentes Barack Obama, Bill Clinton e George W. Bush. O vice-presidente que deixa o cargo hoje, Mike Pence, também esteve presente.

Biden foi eleito ao garantir 306 votos no Colégio Eleitoral, em comparação a 232 de Trump, nas eleições realizadas em novembro de 2020. Sem apresentar provas, o republicano contestou o resultado com ações na Justiça, mas todas foram rejeitadas.

Medidas de Biden

Antes da cerimônia, a equipe de Joe Biden anunciou que o presidente marcará sua entrada na Casa Branca com 17 decretos para reverter políticas que marcaram a gestão de seu antecessor Donald Trump

Entre elas, estão o retorno dos Estados Unidos ao Acordo de Paris sobre o clima, a anulação da decisão de deixar a OMS (Organização Mundial da Saúde) e a construção do muro na fronteira com o México.

Outra prioridade do novo presidente é o combate à pandemia no país. Mais de 400 mil pessoas já morreram em decorrência da covid-19 no país.

Lady Gaga canta hino americano

A cerimônia de posse teve início por volta das 13h20 (de Brasília), com o discurso da senadora Amy Klobuchar relembrando a invasão ao Congresso americano. "Quando as turbas da insurreição estavam na frente ao Capitólio, e isso nos apontou para nossas responsabilidades", disse.

Antes da posse de Biden, a cantora Lady Gaga cantou o hino nacional. Já Jennifer Lopez, no meio de sua apresentação, gritou em espanhol as palavras "liberdade e justiça" para todos.

Trump deixa Casa Branca de helicóptero

Durante a manhã de hoje, Donald Trump deixou a Casa Branca de helicóptero até a base aérea de Andrews, de onde embarcou para a Flórida. Em seu discurso de despedida, ele falou em "números impressionantes" na economia e "milagre" no desenvolvimento de vacinas contra covid-19 em nove meses, se despedindo dos apoiadores presentes prometendo um retorno em breve.

"Eu sempre lutarei por vocês. Voltaremos de alguma forma", completou, diante de um público restrito que acompanhou seu embarque. "Nos veremos em breve. Muito obrigado", disse.

Donald Trump vai se instalar na residência luxuosa de Mar-a-Lago, em Palm Beach, na Flórida. Toda a sua família também vai residir no estado do sul do país.

Trump é apenas o quarto presidente da história dos Estados Unidos a não comparecer à posse de seu sucessor. Ele se juntará a John Adams (1801), o filho dele, John Quincy Adams (1829), Andrew Johnson (1869), todos do século 19.

Ontem, em uma de suas últimas medidas como presidente, Trump concedeu o indulto presidencial a 73 pessoas e alterou 70 sentenças judiciais para penas mais leves.

Entre os beneficiados está Steve Bannon, seu conselheiro até 2017, acusado de ter enganado milhares de investidores que pensavam ter aplicado dinheiro para o cumprimento de uma das principais promessas eleitorais do republicano: a construção de um muro na fronteira com o México.

Bannon, de 66 anos, foi um dos arquitetos da bem-sucedida campanha presidencial de Donald Trump, em 2016, antes de ser demitido pelo bilionário, em agosto de 2017. Ele foi acusado de desviar mais de um milhão de dólares da verba arrecadada e supostamente destinada para o projeto do muro na fronteira. De acordo com a acusação, o dinheiro também cobriria "centenas de milhares de dólares de gastos pessoais".

* Colaborou Rayanne Albuquerque, do UOL, em São Paulo, e com informações das agências AFP e RFI.

Internacional