PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Bolsonaro quer reunião "informal" com vizinhos do Mercosul

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido)                              - ALAN SANTOS/PR
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) Imagem: ALAN SANTOS/PR

Hanrrikson de Andrade e Stella Borges

Do UOL, em Brasília e em São Paulo

03/02/2021 14h22Atualizada em 03/02/2021 14h33

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou hoje que espera marcar uma reunião com os chefes de três países vizinhos do Mercosul: Argentina (Alberto Fernández), Paraguai (Mario Abdo Benitez) e Uruguai (Luis Alberto Lacalle Pou).

O governante brasileiro sugeriu que o encontro tenha uma "parte informal", para que as autoridades possam ficar "à vontade" e discutir "questões internas, bem como do mundo todo".

"Essa nossa reunião com os quatro presidentes, brevemente, também tem a parte informal, uma sugestão minha, para que possamos ficar mais à vontade para discutir questões internas nossas bem como do mundo todo. É assim que nós agimos. Obviamente que, da minha parte, sempre seguindo aqui orientações do Ernesto Araújo", afirmou ele, em menção ao ministro das Relações Exteriores.

A declaração ocorreu na tarde hoje, no salão nobre do Congresso Nacional, depois que Bolsonaro recebeu Lacalle Pou no Palácio do Planalto. É a primeira visita do uruguaio ao Brasil e sua primeira viagem ao exterior como presidente.

Ao fim da recepção, Pou destacou a cordialidade com a qual foi recebido no país e que retorna ao Uruguai "com a notícia de que ele e Bolsonaro concordaram em uma enorme quantidade de temas".

O chefe do Executivo brasileiro disse que a reunião, se concretizada a ideia, ocorreria provavelmente em Foz do Iguaçu, no Paraná. Ele não revelou se a iniciativa já foi compartilhada com os presidentes do Paraguai e da Argentina.

O chanceler Ernesto Araújo disse que o Uruguai é um "país essencial" para os interesses do Brasil dentro do Mercosul e que as duas nações têm uma "visão muito semelhante".

Segundo o ministro, há interesse em ver "o que pode ser feito para redinamizar o Mercosul", algo que, segundo ele, o governo brasileiro já estaria fazendo.

"Vocês [imprensa] viram a pauta muito importante em várias frentes com o Uruguai. Infraestrutura, por exemplo, tem questão da facilidade da hidrovia do rio Uruguai, parte de integração fronteiriça."

Internacional