PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
7 meses

Rompimento de geleira no Himalaia deixa mortos na Índia

Do UOL, em São Paulo*

07/02/2021 06h25Atualizada em 07/02/2021 14h52

Ao menos sete pessoas morreram e cerca de 125 estão desaparecidas após o rompimento de uma geleira no Himalaia que provocou a cheia repentina de um rio na região norte da Índia.

O ministro-chefe do estado de Uttarakhand, Trivendra Singh Rawat, disse que 125 pessoas estão desaparecidas, mas o número pode aumentar. Até o momento, as autoridades encontraram sete corpos.

Mais cedo, Om Prakash, secretário-chefe de Uttarakhand disse que "o número real ainda não foi confirmado", mas estimava que 100 a 150 pessoas morreram. Entre os desaparecidos estão funcionários da hidrelétrica de Tapovan, perto de uma barragem que foi atingida pela inundação.

"Veio muito rápido, não havia tempo para alertar ninguém", disse Sanjay Singh Rana, que mora na parte superior do rio na vila de Raini à Reuters por telefone. "Senti que até nós seríamos varridos."

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, disse que está em contato constante com autoridades para saber sobre os trabalhos de resgate. Ele também afirmou que o país está orando pela segurança de todos os moradores da região.

A força aérea da Índia estava sendo preparada para ajudar nas operações de resgate, disse o governo.

Um setor da geleira se rompeu e deslizou para o rio Dhauliganga. O aumento repentino das águas arrasou tudo o que encontrou em seu caminho neste vale estreito, incluindo uma barragem, pontes e estradas, de acordo com imagens feitas por moradores da região.

As equipes de resgate trabalhavam contra o tempo para evacuar dezenas de vilarejos da região e chegar ao túnel com pelo menos 16 pessoas retidas.

O estado vizinho de Uttar Pradesh, o mais populoso da Índia, colocou suas áreas ribeirinhas em alerta máximo.

Uttarakhand é um estado indiano localizado no Himalaia e onde nasce o rio Ganges. Muitos vilarejos que estão sendo evacuados ficam nas colinas com vista para o rio, que é um afluente do Ganges.

As autoridades esvaziaram duas represas como medida de precaução para evitar que as águas turbulentas provocassem a cheia do Ganges nas cidades de Rishikesh e Haridwar. Também proibiram que os moradores das duas cidades se aproximem das margens do rio sagrado.

A região de Uttarakhand é sujeita a inundações repentinas e deslizamentos de terra. Em junho de 2013, uma chuva causou inundações que mataram cerca de 6.000 pessoas na região.

Esse desastre ficou conhecido como "tsunami do Himalaia" por causa da grande quantidade de água que se espalhou na área montanhosa, que lançou lama e pedras, enterrando casas, edifícios, estradas e pontes.

* Com informações da Reuters e AFP

Internacional