PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Comissária cria 'lista VIP' para ricos furarem fila da vacina nos EUA

Baugh assumiu que era responsável pela seleção dos CEPs que serão prioritários para a vacinação da covid-19 - Reprodução/Facebook
Baugh assumiu que era responsável pela seleção dos CEPs que serão prioritários para a vacinação da covid-19 Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

23/02/2021 12h09

A presidente do comissariado do condado de Manatee, na Flórida (EUA), foi criticada por criar uma lista "VIP" de pessoas ricas que se tornariam prioritárias para receberem a vacina contra a covid-19, furando a fila de imunização. Na lista havia o nome dela e de moradores dos dois CEPs mais ricos da região que receberiam as novas três mil doses que serão disponibilizadas no condado.

De acordo com o jornal Herald-Tribune, Vanessa Baugh enviou um e-mail — com o título "nomes para a lista" — ao diretor de segurança pública do condado, Jake Saur. No texto havia a lista dos nomes dos moradores ricos — e majoritariamente brancos — dos dois CEPs que deveriam ser priorizados para receberem a vacina.

A lista VIP, que incluía o nome de Baugh, fazia parte do planejamento para a imunização, comandada pela Divisão de Gerenciamento de Emergências da Flórida.

Na teoria, a Baugh teria que usar o sistema de loteria que, a partir de uma lista de pessoas elegíveis para receberem a vacinação, promove a escolha aleatória dos próximos nomes da fila. A decisão para o uso desse sistema aconteceu no último mês e a presidente havia votado a favor da opção.

O site do departamento de saúde local determina que, neste momento, idosos com 65 anos ou mais que moram em tempo integral ou parcial na Flórida são o grupo prioritário da vacinação, assim como os profissionais da saúde.

Repercussão

Na quinta-feira (18), a mulher pediu desculpas após a repercussão do caso, mas rebateu o argumento de que o e-mail era uma "lista VIP" e ainda criticou que a informação foi divulgada para a mídia.

"Eu me sinto péssima com essa, como é chamada, 'lista VIP', que não era uma lista VIP. Sim, eu me sinto [péssima]", disse ela durante uma reunião pública com outros comissários.

A presidente assumiu que foi a responsável por escolher os dois CEPs e os nomes das pessoas que seriam priorizadas para a vacinação, porém, negou que os escolhidos seriam "VIPs". Ela ainda afirmou que o governador do estado, Ron DeSantis, não teve qualquer envolvimento na seleção.

Ao ser questionado na quarta-feira (17), DeSantis informou que os CEPs não foram privilegiados e a decisão priorizou os locais com o maior número de pessoas idosas infectadas.

O argumento do governador foi rebatido por Robert Poweell, presidente da filial de Manatee em uma instituição em prol dos direitos civis de minorias no país.

"Embora eu esteja feliz com o condado de Manatee recebendo três mil doses [de imunizante], eu não estou feliz com ele indo especificamente para uma área com pouco menos de três mil casos de covid-19 e a região que tem mais de oito mil casos, que são de pessoas predominantemente pretas e pardas, e são desproporcionalmente afetados por essa doença, não recebeu nenhuma [dose da vacina]", explicou.

"Isso [a imunização de pessoas ricas e brancas] aumenta o argumento [de racismo no condado] porque você está pegando o grupo demográfico mais branco, o grupo demográfico mais rico de Manatee, e colocando-os à frente de todos os outros", disse a comissária Misty Servia ao site WTSP.

A ABC 7 WWSB informou que hoje algumas pessoas do condado pretendem fazer um comício para exigir que Baugh renuncie ao cargo, já que a então presidente não o fez mesmo com os pedidos anteriores após a repercussão do caso.

De acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins, até hoje, os EUA já registram mais de 28 milhões de casos e 500.443 mortes em decorrência do novo coronavírus.

Internacional