PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Lagarto invade loja na Tailândia, sobe em prateleiras e assusta clientes

Lagarto sobe em prateleira de loja de conveniência na Tailândia  - Reprodução/Youtube/BTS - Behind The Story
Lagarto sobe em prateleira de loja de conveniência na Tailândia Imagem: Reprodução/Youtube/BTS - Behind The Story

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/04/2021 16h10

Um enorme lagarto entrou nesta terça-feira (6) em uma loja de conveniência na Tailândia e causou confusão, amedrontando clientes e funcionários do estabelecimento. O réptil, do gênero Varanus, tem quase dois metros de comprimento e derrubou produtos das prateleiras, jogando inclusive várias caixas de leite no chão.

O animal, um exemplar da espécie lagarto-monitor, foi flagrado por câmeras de segurança do local. A loja é uma das milhares de unidades da franquia 7-Eleven espalhadas ao redor do mundo.

Segundo a Fox News, ele provavelmente estava à procura de comida quando causou o tumulto. Ele havia acabado de sair de um canal próximo a província tailandesa de Nakhon Pathom quando resolveu entrar na loja.

Funcionários e pessoas que realizavam compras no local fugiram para atrás de um balcão, de acordo com a agência de notícias SWNS (Southwest News Service).

"Eu só parei na loja para comprar um pouco de comida e então vi o enorme lagarto-monitor lá dentro. Eu queria comprar uma bebida, mas o animal estava perto demais do corredor de bebidas", recordou Narumpa Tangsin, um dos clientes da loja de conveniência.

Tangsin disse acreditar que o animal era perigoso, então o homem foi mais para trás e pegou o celular, com o qual registrou toda a cena. "Acho que as lojas têm de tudo, até [produtos] para lagartos", brincou o comprador.

Depois da invasão, o lagarto-monitor foi finalmente capturado por profissionais especializados na apreensão de répteis. Ele foi liberto em uma área de vegetação próxima.

Essa espécie de réptil pode comer alimentos deixados por humanos, mas o mais comum na natureza é que se alimentem de peixes, cobras e sapos. Segundo a SWNS, a área de Nakhon Pathom sofria com tempo seco, o que pode ter dificultado a procura do animal por uma refeição.

Internacional