PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

EUA: Web questiona se Trump estava com as calças ao contrário em discurso

O ex-presidente Donald Trump durante convenção do Partido Republicano em Greenville, na Carolina do Norte - Jonathan Drake/Reuters
O ex-presidente Donald Trump durante convenção do Partido Republicano em Greenville, na Carolina do Norte Imagem: Jonathan Drake/Reuters

Do UOL, em São Paulo

06/06/2021 15h51

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ressurgiu politicamente na noite de ontem ao fazer um discurso na convenção estadual anual do partido Republicano na Carolina do Norte. Mas o que chamou a atenção dos internautas não foram as palavras —muito semelhantes ao que sempre disse em seus quatro anos de governo— mas sim as suas calças. Elas estavam ao contrário?

Vídeos recortados do discurso começaram a circular na internet mostrando a frente da calça do ex-presidente. Internautas então questionaram onde estaria o zíper e estranharam como elas pareciam não estar bem ajustadas às pernas.

"Donald Trump fez seu grande discurso hoje com as calças ao contrário. Olhe com atenção e me diga que estou errado", escreveu o empresário e ex-funcionário do governo de Barack Obama, Brandon Friedman.

Outro respondeu: "Definitivamente, a calça está virada para trás. Não tem braguilha e os vincos são os que ficam na parte de trás das pernas".

Um internauta chegou a fazer uma brincadeira com a palavra "fly" em inglês que pode significar tanto "voar", quanto "mosca" ou "braguilha" —que é aquele tecido na calça que protege o zíper"—.

Segundo ele, a "fly" ausente na calça de Trump, estaria na cabeça do seu ex-vice-presidente, Mike Pence, em referência ao debate de vices em que uma mosca pousou na cabeça do republicano.

Outra comparou as calças de Trump com as do ditador norte-coreano, Kim Jong-un.

Discurso de Trump

Trump falou na noite de ontem depois de passar um tempo longe dos holofotes políticos após a derrota para o democrata Joe Biden. O republicano relutou em aceitar a derrota e incitou seus apoiadores a não reconhecer o pleito.

O resultado foi sua expulsão das redes sociais, incluindo o Facebook que esta semana renovou seu banimento até 2023.

Em um discurso de 90 minutos para uma plateia cheia, Trump chamou sua derrota para Biden de "crime do século" e comparou as eleições americanas a "eleições de terceiro mundo", demonstrando que não mudou de atitude desde a derrota.

"Lembrem-se, não sou eu que estou tentando minar a democracia americana, sou eu que estou tentando salvá-la", disse após desacreditar o processo eleitoral americano

Ele voltou a atacar a China e atribuir ao país à culpa pela pandemia. "Chegou a hora de os Estados Unidos e o mundo exigirem reparações e responsabilidades do Partido Comunista da China. Devemos todos declarar com uma voz unificada que a China deve pagar - eles devem pagar".

Ele também aproveitou a polêmica publicação de e-mails do renomado médico Anthony Fauci, que encabeça o combate à pandemia nos EUA, para criticá-lo. "[Fauci] talvez nunca tenha estado mais errado do que quando negou o vírus e de onde ele veio".

Segundo a imprensa americana, a aparição de ontem é a primeira de uma turnê para arrecadação de fundos visando seu futuro político no país.

Internacional