PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Prefeito de NY cita Bolsonaro e diz: 'Se não querem se vacinar, nem venham'

Do UOL, em São Paulo

20/09/2021 15h37Atualizada em 20/09/2021 20h39

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, cobrou hoje os líderes mundiais que participarão da 76ª Assembleia-Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) para que se vacinem contra a covid-19, dizendo que quem se recusa a fazê-lo não deveria nem ir ao evento. A declaração foi um recado ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) — citado nominalmente por De Blasio —, que até hoje diz não ter sido vacinado.

"Precisamos mandar uma mensagem a todos os líderes mundiais, especialmente Bolsonaro, do Brasil, de que se você pretende vir aqui, você precisa ser vacinado. E se você não quer se vacinar, nem venha, porque todos devem estar seguros juntos. Isso significa que todo mundo deve estar vacinado", alertou de Blasio em entrevista coletiva.

Bolsonaro é o único dos 19 chefes de Estado do G20 — grupo das maiores economias do mundo, mais a União Europeia — que declarou não ter sido imunizado contra a covid-19, segundo levantamento da BBC.

O presidente brasileiro chegou ontem à tarde a Nova York, acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro e de um dos seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), além dos ministros Gilson Machado (Turismo), Marcelo Queiroga (Saúde) e Augusto Heleno (Secretaria-Geral), entre outras autoridades.

Hoje, o único compromisso de Bolsonaro pela manhã foi uma reunião com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

Como marca a tradição, o presidente brasileiro deve fazer o primeiro discurso na Assembleia Geral da ONU amanhã, embora sua participação tenha sido posta em dúvida por alguns dias — justamente por causa de sua recusa a tomar a vacina contra a covid-19.

Inicialmente, as autoridades de saúde de Nova York disseram que o anfiteatro onde o evento acontecerá é "um centro de convenções" sujeito às mesmas regras sanitárias que a maioria dos espaços fechados. Mas o presidente da Assembleia Geral da ONU, Abdulla Shahid, afirmou aos delegados dos Estados membros que basta apresentar teste negativo para coronavírus para poder participar.

Bolsonaro já disse em diversas oportunidades que será o "último brasileiro" a ser vacinado.

Integrante da comitiva com covid-19

Um diplomata que integra a comitiva brasileira que está em Nova York para a 76ª Assembleia Geral da ONU recebeu diagnóstico positivo para covid-19. A informação foi revelada pela CNN Brasil e confirmada pelo jornal O Estado de S. Paulo com uma fonte que integra a delegação.

O diplomata não estava no mesmo voo de Bolsonaro, tendo chegando antes a Nova York, segundo informações preliminares. Ele é parte da equipe precursora do governo que organizou os preparativos para a viagem, antes do desembarque do presidente e dos ministros, no último domingo (19).

Assessores do Itamaraty e da Presidência não confirmam a informação até o momento. O integrante contaminado está isolado em um quarto do hotel, segundo fontes do Estadão, até que seja submetido a outro teste de covid-19 e que a delegação brasileira consiga rastrear com quais pessoas ele teve contato.

(Com AFP e Estadão Conteúdo)

Coronavírus