PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Ômicron: Europeus saem às ruas para protestar contra vacina e restrições

Do UOL, em São Paulo*

04/12/2021 18h56Atualizada em 04/12/2021 19h28

Dezenas de milhares de pessoas protestaram neste sábado (4) na Europa contra medidas para conter o coronavírus, impostas em meio a um pico de infecções. Dentre os países que registraram manifestações estão Áustria, Bélgica, Holanda, Alemanha e Espanha.

De acordo com o Centro Europeu para a Prevenção e o Controle das Doenças (ECDC), a variante ômicron pode provocar a maioria dos casos de contágio de covid na Europa nos próximos meses. A ameaça tem levado governos a endurecerem medidas restritivas e exigir comprovantes de vacinação para algumas atividades.

Áustria

Mês passado, a Áustria se tornou o primeiro país da Europa Ocidental a reimpor um lockdown, que deve durar 20 dias, e disse que tornaria a vacinação obrigatória a partir de fevereiro.

Neste sábado, mais de 40 mil manifestantes se reuniram em Viena para protestar. Alguns carregaram cartazes dizendo "Eu decidirei por mim mesmo", "Torne a Áustria Grande Novamente" e "Novas Eleições" —um aceno à turbulência política que gerou três chanceleres em dois meses.

Holanda

Na cidade de Utrecht, região central da Holanda, milhares de pessoas se manifestaram contra as restrições que começaram no último fim de semana.

Nos espaços públicos fechados, o uso de máscara é obrigatório, mas muitos não usam. O passe de saúde é verificado com pouca assiduidade em bares e restaurantes, e apesar de esses estabelecimentos deverem fechar às 17h desde o último final de semana, a medida nem sempre é respeitada.

Nos últimos meses, as infecções dispararam. Cerca de 20 mil positivos são registrados diariamente, um índice alto para um país de 17 milhões de habitantes.

Na semana passada, havia cerca de 900 infectados por 100 mil habitantes, tornando a Holanda o quarto país da Europa com a maior incidência, de acordo com estatísticas da AFP.

Alemanha

Na capital financeira da Alemanha, Frankfurt, a polícia dispersou um protesto de centenas de pessoas por não utilizarem máscaras ou manter o distanciamento social, usando cassetetes e spray de pimenta, após os policiais serem atacados por um grupo de manifestantes.

E em Berlim, onde um novo governo deve ser empossado em alguns dias, pequenos grupos se reuniram para protestar, após uma manifestação maior ter sido proibida.

Espanha

Em Barcelona, na Espanha, milhares protestaram neste sábado contra a exigência de documentos sanitários para frequentar estabelecimentos como bares e restaurantes.

Bélgica

O governo Belga anunciou esta semana que máscaras passarão a ser obrigatórias a partir dos seis anos de idade, não a partir dos dez anos, como era até agora. A medida foi tomada após o aumento de casos entre crianças.

As escolas primárias fecharão para os feriados de Natal e Ano Novo uma semana antes do previsto, e as escolas secundárias passarão para um sistema híbrido, com metade das aulas em casa.

As medidas geraram insatisfação em parte da população e houve protestos em Bruxelas neste sábado.

*Com informações da Reuters e da AFP

Coronavírus